Apresentação

 

HISTÓRICO

A Universidade Federal do Paraná tem um longo percurso de trabalho na área da Saúde Coletiva, com disciplinas na graduação de diversos cursos, cursos de especialização lato sensu, residências. Ao lado disso, acalentou por muitos anos o sonho de criar um programa de pós-graduação stricto sensu que atendesse aos anseios dos profissionais do Estado do Paraná e mais particularmente de Curitiba e região. A ideia construída ao longo desses anos visava a formação de pesquisadores e docentes para a área, contribuindo para alavancar a produção de conhecimento no campo da Saúde Coletiva, e fortalecer a formação e educação permanente dos profissionais da saúde, para sua atuação na pesquisa, na docência, na administração e gestão dos serviços do Sistema Único de Saúde.

No ano de 2014, conseguiu-se reunir um grupo de docentes com diversas iniciativas conjuntas de pesquisa, composto por professores doutores permanentes da UFPR, inseridos no ensino, na pesquisa e na extensão. Embora alguns tenham recente inserção na produção bibliográfica, destacando-se recém doutores, o conjunto conta com uma produção consistente, com pesquisadores que atuam como revisores de periódicos, assessores e consultores de instituições de pesquisa, ensino e serviços de saúde.

Alguns componentes do corpo docente atuam em conjunto desde 1994, quando o Ministério da Saúde implantou oficialmente, no país, o Programa de Saúde da Família (PSF) e, em conjunto com profissionais de alguns serviços de saúde estaduais e municipais, iniciaram atividades de capacitação para a área. Em 1996 foram iniciadas atividades tais como: eventos de extensão universitária para a sensibilização e atualização de professores e alunos sobre a Saúde da Família; cursos de extensão universitária, cursos de especialização em Saúde Coletiva e pesquisas relacionadas à implantação do PSF.

O grupo tem contribuído para a efetiva aproximação entre ensino universitário e realidade de saúde da população e dos serviços de saúde, fortalecendo a integração ensino/serviço e a criticidade na formação de futuros profissionais, sendo expressiva a participação discente nos projetos de pesquisa.

Em 1998, o grupo criou o Núcleo de Estudos em Saúde da Família (NESF), iniciando a 1ª turma do Curso de Especialização em Saúde Coletiva, contando com docentes e discentes de Enfermagem, Nutrição, Medicina, Odontologia, Farmácia e Terapia Ocupacional. Implantou, também, atividades de extensão junto à rede de atenção à saúde nos municípios de Colombo e Curitiba. Em 2006 a designação NESF foi substituída por NESC, Núcleo de Estudos em Saúde Coletiva, refletindo a ampliação do escopo de sua atuação para além do campo específico da Saúde da Família.

Desde 2008 docentes do Departamento de Saúde Comunitária do Setor de Saúde da UFPR participam do Projeto Pet-Saúde, parceria com o Ministério da Saúde e Secretaria Municipal de Saúde, no qual desenvolvem pesquisas direcionadas à problemática do SUS, aproximando a academia do serviço e da comunidade, por meio da busca de solução de problemas e qualificação da formação profissional.

Em 2009 a UFPR abriu em seu Setor Litoral, no município de Matinhos (a 100 Km de Curitiba), a Graduação em Saúde Coletiva, constituindo um grupo de docentes da área para atuação no referido campus. Tal grupo vem atuando desde então em frentes de ensino, pesquisa e extensão, em diálogo com os docentes do Setor de Ciências da Saúde; consolidou, também, um núcleo de estudos em Saúde Coletiva, desenvolveu diversos projetos, incluindo dois Projetos PET com financiamento do Ministério da Saúde e Cursos de Aperfeiçoamento e Especialização (modalidade EaD em Gênero e Diversidade na Escola) com financiamento do Ministério da Educação. A primeira turma de bacharéis em Saúde Coletiva formou-se em 2013, sendo o curso reconhecido com conceito 4, e recomendação dos avaliadores se que se avançasse para a pós-graduação strictu sensu na área de Saúde Coletiva.

Em 2011 o NESC, em Curitiba, criou o grupo de pesquisa intitulado “Núcleo de Estudos em Saúde Coletiva”, agregando docentes e discentes de enfermagem, farmácia, veterinária, medicina, odontologia, psicologia, pedagogia e direito.

Atualmente sediadas no Departamento de Saúde Comunitária, a Residência Multiprofissional em Saúde da Família e a Residência em Medicina da Família, assim como o curso de especialização em Medicina do Trabalho, também congregam diversos docentes envolvidos com a proposta do mestrado em Saúde Coletiva.

Docentes e discentes têm-se envolvido, ainda, em diversos projetos de pesquisa na área da Saúde Coletiva, muitos com financiamento das agências de fomento, além de projetos de extensão ou articulação ensino-serviço-comunidade, como o PET Saúde.

A condição atingida no ano de 2014 demonstrava um avanço na pesquisa, possibilitado pelo maior número de professores do grupo com regime de trabalho de Dedicação Exclusiva (DE) e 40h. Disso resultou a formulação de projetos de pesquisa integrando professores que até então realizavam suas pesquisas isoladamente, com outros que ainda não conseguiam dedicar-se significativamente a tais atividades. Alguns professores com alta produtividade que até então dedicavam-se mais à pesquisa das ciências básicas, também se integraram em pesquisas próprias da Saúde Coletiva potencializando publicações pertinentes à área.

Diversos pesquisadores do grupo acumularam, até aquele momento, iniciativas de articulação institucional como:

  • A participação no Projeto: “L’éffet des pesticides organophosphorés sur l’áudition des travailleus agricoles”, em parceria com a Universidade Tuiuti do Paraná – Programa de Mestrado e Doutorado em Distúrbios da Comunicação e Universidade de Montreal como parte do Projeto – Termo de Cooperação Paraná-Quebec, para o desenvolvimento de pesquisa sobre os efeitos dos agrotóxicos na audição de trabalhadores agrícolas (fumicultores) da região de Irati – Paraná. Tal articulação, abre um importantíssimo canal para pesquisa sobre os efeitos das substâncias tóxicas junto à Universidade Tuiuti do Paraná e a Universidade de Montreal, contribuindo para a qualificação não só dos trabalhos, como dos próprios pesquisadores.
  • Elaboração do “Protocolo para Diagnóstico das Intoxicações Crônicas por Agrotóxicos” em parceria com a Secretaria de Estado da Saúde/Serviço de Vigilância Sanitária e Centro Estadual de Saúde do Trabalhador, constituindo um importante instrumento de consolidação da relação com os serviços e a parceria para a compreensão dos problemas de saúde e na contribuição para a busca de sua solução através da produção do conhecimento científico sobre a questão.
  • A pesquisa intitulada “Identificação dos Processos Críticos Protetores e Destrutivos da Saúde dos Professores da Secretaria de Estado da Educação”, em parceria com a APP – Sindicato dos Trabalhadores em Educação Pública do Paraná, da mesma forma, constitui um espaço de ação conjunta com os trabalhadores, através de seu sindicato, para a compreensão da gênese de seus problemas de saúde que também qualifica os pesquisadores com a aproximação ao olhar daqueles que vivenciam tais questões.
  • Pesquisa intitulada “Qualidade dos registros informatizados de vacina no Município de Curitiba e impacto na cobertura vacinal do município” em parceria com a Faculdade de Saúde Pública da USP e Secretaria Municipal da Saúde de Curitiba, contribui com a expertise dos pesquisadores da Universidade de São Paulo e com a vivência dos serviços de saúde da Secretaria Municipal da Saúde de Curitiba, no enfrentamento de um problema de alta relevância, cujo estudo contribuirá não só para o avanço “desinteressado” da ciência, como para a qualificação do serviço.
  • Da mesma forma, o projeto intitulado “Terapia Comunitária Integrativa como Tecnologia Social para Promoção da Saúde: Experiência de Pesquisa Avaliativa por Triangulação de Métodos na Rede de Atenção à Saúde de Curitiba/PR”, em parceria com a Universidade Estadual de Ponta Grossa (UEPG),  Secretaria de Saúde do Estado do Paraná (SESA-PR) e Secretaria de Saúde de Ponta Grossa-PR, também proporciona a troca de conhecimento e de experiência em pesquisa com a instituição formadora e a vivência dos serviços de saúde, no enfrentamento de problemas relevantes, com as mesmas consequências já citadas.
  • A Participação de docentes na liderança de grupos de pesquisa registrados no Diretório de Pesquisas do CNPq como o Saúde, Ambiente e Desenvolvimento no Contexto de Novos Campus Universitários (SAD-NCU) em grupos de pesquisa de outras universidades brasileiras, como no Grupo de Pesquisa de Tecnologia e Saúde, vinculado ao Programa de Pós-Graduação em Saúde Coletiva da Universidade Federal de São Paulo (UNIFESP), no Instituto de Estudos de Saúde Coletiva da Universidade Federal do Rio de Janeiro (IESC-UFRJ), no Centro de Estudos de Lógica Fuzzy e Saúde da Faculdade de Medicina da Universidade de São Paulo (USP) e universidades internacionais, como o Mother and Child Health Research da La Trobe University, Melbourne, Australia e Universidade de Pádua, Itália, contribuindo para a qualificação dos mesmos, no contato com os outros centros de pesquisa.

Com base nesse acúmulo, em 2014 o grupo composto pelos professores Eliana Remor Teixeira, Eliane Carneiro Gomes, Guilherme Souza Cavalcanti de Albuquerque, Marilene da Cruz Magalhães Buffon, Rafael Gomes Ditterich e Yanna Dantas Rattmann, formulou posposta para a abertura do mestrado do Programa de Pós-graduação em Saúde Coletiva da UFPR e submeteu à CAPES, sendo aprovada em dezembro do mesmo ano.

O mestrado foi aprovado tendo como área de concentração a Saúde Coletiva e contando com duas linhas de pesquisa: a linha de Epidemiologia, com 11 docentes, e a linha de Políticas e Serviços de Saúde, contando com 9 docentes.

Relação dos docentes que iniciaram as atividades do Programa na sua criação:

Daniel Canavese de Oliveira
Denise Siqueira de Carvalho
Doroteia Aparecida Höfelmann
Eliane Carneiro Gomes
Fabian Calixto Fraiz
Giovana Daniela Pecharki
Guilherme Souza Cavalcanti de Albuquerque
Herberto José Chong
Karin Regina Luhm
Liliana Muller Larocca
Marcos Claudio Signorelli
Maria Marta Nolasco Chaves
Marilene da Cruz Magalhães Buffon
Milene Zanoni da Silva
Rafael Gomes Ditterich
Rogério Miranda Gomes
Samuel Jorge Moysés
Silvia Emiko Shimakura
Verônica de Azevedo Mazza
Yanna Dantas Rattmann

Os professores Guilherme Souza Cavalcanti de Albuquerque e Yanna Dantas Rattmann foram respectivamente eleitos para a coordenação e vice coordenação do programa e deram início ao processo seletivo definido pela comissão de seleção e aprovado pelo colegiado.

Lançado o edital de seleção em maio de 2015, iniciou-se o processo seletivo, com a prova escrita, no dia 31 do mesmo mês.

Confirmando a previsão dos docentes, de que havia uma grande demanda pelo mestrado, houve 121 inscrições para concorrer às 20 vagas disponíveis. Cento e duas mulheres e dezenove homens inscreveram-se nas linhas de Epidemiologia (34 inscritos) e de Políticas e Serviços de Saúde (87 inscritos).

Encerrado o processo seletivo que constou de prova escrita, análise de currículo, análise de anteprojeto de pesquisa e entrevista, definiu-se o grupo de 20 mestrandos com início de atividades em 28 de julho de 2015, quando ocorreu a abertura do Programa de Pós-Graduação em Saúde Coletiva (PPGSC), contando com a presença de Guilherme Souza Cavalcanti de Albuquerque, coordenador do PPGSC; Edevar Daniel, chefe do Departamento de Saúde Comunitária da UFPR; Paulo Poli Neto, representando a Secretaria Municipal de Saúde de Curitiba; Nelson Luis Barbosa Rebellato, vice-coordenador do Setor de Ciências da Saúde da UFPR; Vânia Aparecida Vicente, coordenadora dos programas strictu sensu da Pró-Reitoria de Pós-Graduação e Pesquisa (PRPPG) da UFPR; Edilson Sergio Silveira, pró-reitor da PRPPG, representando a reitoria da UFPR; Hillegonda Maria Dutilh Novaes, coordenadora adjunta da área Saúde Coletiva na Coordenação de Aperfeiçoamento de Pessoal de Nível Superior (CAPES); e Lilia Blima Schraiber, professora do Departamento de Medicina Preventiva da USP, ministrante da aula inaugural do PPGSC.

Mesa de Abertura

abertura-mestrado  abertura-mestrado2

abetura-mestrado3

Aula Inaugural – Profa. Lilia Blima Schraiber

aula-inaugural  aula-inaugural2

lilia-schraiber-aula-inaugural