Pró-Reitoria de Pesquisa e Pós-Graduação

Menu

A Pós-Graduação na UFPR

A PÓS-GRADUAÇÃO STRICTO SENSU DA UFPR

 

A UFPR tem 86 programas de pós-graduação stricto sensu, sendo que:

• 38 programas são considerados de excelência pela CAPES. Destes, 3 PPGs foram avaliados conceito CAPES 7 (nota máxima), 7 programas foram avaliados conceito CAPES 6 e, 28 programas foram avaliados com conceito CAPES 5;
• 54 programas oferecem curso de doutorado;
• 73 programas de pós-graduação são acadêmicos e 13 são profissionais;
• 12 programas de pós-graduação são oferecidos em rede, sendo que a UFPR sedia o PPG Filosofia Profissional e participa como polo dos demais programas.

 

Pós-graduação Stricto Sensu da UFPR no Estado do Paraná

Os programas de pós-graduação da UFPR estão distribuídos pelo Paraná da seguinte forma: 79 programas estão sediados na cidade de Curitiba; 5 estão sediados na cidade de Palotina, no interior do estado; 1 em Matinhos (PPG Desenvolvimento Territorial Sustentável) e 1 em Pontal do Paraná (PPG Sistemas Costeiros e Oceânicos), região do litoral.

 

Pós-graduação Stricto Sensu nos Setores da UFPR

• O setor de Ciências Jurídicas da UFPR oferece 1 programa de pós-graduação, o PPG Direito.
• O setor de Ciências Sociais Aplicadas da UFPR oferece 7 programas de pós-graduação.
• O setor de Educação da UFPR oferece 2 programas de pós-graduação (PPG Engenharia e Ciência dos Materiais e o PPG Métodos Numéricos em Engenharia).
• O setor de Educação Profissional e Tecnológica da UFPR oferece 1 programa de pós-graduação.
• O Setor de Ciências Agrárias em conjunto com o Setor de Ciências da Terra da UFPR oferecem 1 programa de pós-graduação.
• O Setor de Ciências Exatas em conjunto com o Setor de Tecnologia da UFPR oferecem 2 programas de pós-graduação.
• O setor de Litoral da UFPR oferece 1 programa de pós-graduação.
• O setor de Palotina da UFPR oferece 3 programas de pós-graduação.
• O setor de Tecnologia da UFPR oferece 11 programas de pós-graduação.
• E, finalmente, 2 programas de pós-graduação estão vinculados à Pró-Reitoria de Pesquisa e Pós-Graduação da UFPR

 

Conceito CAPES Nº de PPGs
3 15
4 33
5 28
6 7
7 3

 

Programas em rede Nº de PPGs
Polo 11
Sede 1
Total de programas em rede ou interistitucionais 12

 

 

Localização Nº de PPGs
Curitiba 78
Matinhos 1
Palotina 5
Pontal do Paraná 1

 

Setor Nº de PPGs
Ciências Jurídicas 1
Ciências Sociais Aplicadas 7
Educação 2
Educação Profissional e Tecnológica 1
Intersetorial – Setor de Ciências Agrárias e Ciências da Terra 1
Intersetorial – Setor de Ciências Exatas e Tecnologia 2
Litoral 1
Palotina 3
Pró-Reitoria de Pesquisa e Pós-Graduação 2
Tecnologia 11

 

 

 

 


EVOLUÇÃO DA PESQUISA E DA PÓS-GRADUAÇÃO NA UFPR

 

PROGRAMAS DE PÓS-GRADUAÇÃO NOS SETORES DA UFPR

 

 

 

 

 

Evolução da Pesquisa e da Pós-Graduação na UFPR

 

O desenvolvimento da pesquisa na UFPR, como no resto do Brasil, está intimamente ligado ao desempenho dos seus Programas de Pós-Graduação “stricto sensu” (PPG). O primeiro programa de pós-graduação da UFPR foi o de Bioquímica, iniciado em 1965, sendo o mais antigo de sua área de avaliação na CAPES( Ciências Biológicas II). Este PPG realizou as primeiras defesas de mestrado e doutorado em 1967. Em 1969 mais dois programas foram iniciados, o de Entomologia e o de Genética. Na década de 70, oito programas começaram a funcionar. No entanto, somente neste milênio a UFPR praticamente dobrou o número de Pprogramas de Pós-Graduação.

Em 2001, ano do primeiro Edital FINEP/CT-INFRA, esta Instituição contava com 36 Programas de Pós-Graduação reconhecidos pela CAPES, a maioria avaliada com conceito 3 e nenhum Programa com conceito 6 ou 7. Havia uma clara necessidade de melhoria qualitativa e quantitativa da Pós-Graduação, que refletiria decisivamente sobre a pesquisa e a formação de recursos humanos pela Instituição.

 

2002-2011

De 2002 a 2011 foram criados 33 novos Programas de Pós-graduação na UFPR, totalizando hoje 66 cursos de mestrado, dois deles profissionalizantes, e 40 cursos de doutorado. Dos 106 Programas de Pós-graduação, um teve conceito 6 na última avaliação trienal da CAPES (2007-2009), 21 tiveram conceito  5 e 22, conceito 4.

 

Política de Qualificação

A Instituição tem fortalecido sua política de qualificação e capacitação de recursos humanos buscando alcançar patamares de excelência. Esta política resultou em uma nítida evolução do perfil de qualificação docente da Universidade Federal do Paraná. Em 2001, o número de doutores correspondia a 37,9% do quadro permanente, enquanto mestres, especialistas e graduados correspondiam, respectivamente, a 35,0%, 12,9% e 14,2%. Uma agressiva política de qualificação do corpo docente foi instituída com resultados altamente positivos: em 2011, 66,7% dos docentes são doutores, 21,3% são mestres e 2,9% têm especialização.

 

Resultados da Pós-Graduação

No último triênio houve um aumento de 66,6% do número de publicações em periódicos indexados internacionalmente (ISI -Web of Science) dos pesquisadores da UFPR chegando a um total de 2.650 artigos. Neste período o número de citações dos trabalhos científicos publicados por pesquisadores da UFPR foi de 17.999 (ISI -Web of Science), indicando crescimento significativo no volume e qualidade da pesquisa desenvolvida na UFPR. Este número representa 47% do total de citações de trabalhos publicados por pesquisadores da UFPR (1945-2009; ISI -Web of Science; parâmetros: UFPR or Univ Fed Parana). Tais números são em grande parte reflexo da atuação proativa da UFPR. A Instituição estimula os mecanismos de integração da Graduação com a Pós-graduação através de programas de monitoria, bolsa permanência, bolsa trabalho, iniciação cientifica (PIBIC e UFPR), apoio à iniciação tecnológica (PIBIT) e ações afirmativas.

 

Iniciação Científica e Tecnológica

Na Iniciação Científica e Tecnológica, o total de alunos passou de 943, em 2008, para 1284 em 2010, com percentual crescente de bolsistas (59%), com apoio do CNPq, da Fundação Araucária e da própria UFPR. No evento integrado de ensino, pesquisa e extensão (II SIEPE) realizado em 2010, foram apreciados 1257 trabalhos de iniciação científica e tecnológica (resumos publicados, apresentações realizadas e pôsteres) por comissões internas e externas de avaliação.

 

SIEPE – Semana Integrada de Ensino, Pesquisa e Extensão

As diversas modalidades de bolsas da UFPR eram, até 2008, gerenciadas por unidades distintas, conforme a natureza da bolsa. E cada unidade fazia seu próprio evento para apresentar resultados. Assim, eram realizados o Enec – Encontro de Extensão e Cultura, o Enaf – Encontro de Atividades Formativas, o Evinci – Encontro de Iniciação Científica e o Einti – Encontro de Iniciação tecnológica.

Em 2009 foi iniciado o trabalho de integração desses eventos na Semana Integrada de Ensino, Pesquisa e Extensão (SIEPE). Em 2011 teremos a terceira edição do evento, reunindo Iniciação Científica, Iniciação em Desenvolvimento Tecnológico e Inovação, Extensão e Cultura e Atividades Formativas.

 

Agência de Inovação

Outro indicador do aprimoramento técnico-científico da UFPR foi a consolidação e fortalecimento do sistema de inovação tecnológica, com a instituição da Agência de Inovação da UFPR em maio de 2008 pela resolução de número 16/2008 do Conselho de Planejamento e Administração (COPLAD). A Agência tem entre seus objetivos valorizar a pesquisa aplicada, articular parcerias estratégicas entre a universidade e os setores produtivos e difundir a cultura de proteção da propriedade intelectual. Sua estrutura operacional conta com as Coordenações de Propriedade Intelectual, de Incubadoras de Empresas de Base Tecnológica e de Transferência de Tecnologias.

 

As três coordenações são o resultado da transformação de três unidades existentes na UFPR e que tratavam de cada temática especificamente: o Núcleo de Propriedade Intelectual (NPI/PRPPG, 2003), o Núcleo de Empreendedorismo e Pré-Incubação (NEMPS, 2001) e o Portal de Relacionamento (2004).

Resultados da Agência de Inovação

De 2004 até abril de 2011, fora encaminhados 127 pedidos de registro de patente. Somente em 2010 foram assinados 7 contratos de licenciamento de tecnologias, registradas 3 proteções de tecnologia no exterior, 12 marcas e 3 cultivares protegidos. Devido às ações de empreendedorismo e incubação, no momento 6 empresas estão em processo de incubação, 4 estão pré-incubadas e 6 em prospecção.

Além disso, foram ministrados cursos e oficinas de empreendedorismo. Um  importante marco foi a celebração do primeiro contrato de licenciamento de tecnologia protegida relativo a fertilizante de liberação lenta de nitrogênio com utilização de materiais biodegradáveis. E um exemplo de registro é o do modelo de utilidade do óculos de proteção ajustável, não rígido, para prevenção de exposição aos fluidos biológicos.

 

Propriedade Intelectual

Um notável resultado da Agência de Inovação foi a consolidação das atividade do Núcleo de Propriedade Intelectual, criado em 2003. Esta atividade permitiu até 2011 o depósito de 49 patentes de invenção, sendo que 16 estão em processamento. Além disso, foram depositados dois modelos de utilidade e 8 registros de marcas, das quais 6 foram concedidas pelo INPI.

 

Internacionalização

A UFPR desenvolve também um forte programa de internacionalização, com atividades regulares de cooperação e intercâmbio acadêmico e científico, notadamente na sua participação na Universidade Federal da Integração Latino-americana – UNILA e de seu Sistema Integrado de Relações Internacionais, que conta com um Conselho de Representantes dos diversos setores acadêmicos. A integração com o Cone Sul recebe atenção especial desse Sistema, assim como a presença da Instituição na Associação de Universidades do Grupo Montevidéu (AUGM). Saiba mais na página da Assessoria de Relações Internacionais.

 

Programas de cooperação internacional

Atualmente a UFPR atrai estudantes de pós-graduação latinoamericanos, africanos, asiáticos, europeus e norte-americanos. Além disso, entre mais de uma centena de programas de cooperação internacional vigentes com países da Ásia, América do Norte e Europa, devem ser destacadas as numerosas parcerias efetivas com universidades francesas e alemãs.

Em 2010, a UFPR firmou um acordo de cooperação técnico-científica com a Universidade de Bielefeld, Alemanha. Sob este acordo foi assinado um termo aditivo entre o Instituto Nacional de Ciência e Tecnologia de Fixação Biológica de Nitrogênio – UFPR- e o Centro de Biotecnologia – CeBiTec da mesma universidade alemã.  Estas ações revelam a nova tendência da UFPR em desenvolver tecnologia e biotecnologias de ponta nas áreas de Bioenergia e Biofertilizantes. Os apoios a estas ações inovadoras provieram das agências financiadoras federais ligadas ao MCT e do Estado do Paraná.

 

PROGRAMAS DE PÓS-GRADUAÇÃO NOS SETORES DA UFPR

A UFPR está estruturada em Departamentos alocados em 11 Setores Acadêmicos que são descritos a seguir:

O Setor de Ciências Biológicas, conta com 11 PPG. Os pesquisadores desse Setor participam dos subprojetos das áreas temáticas de Biodiversidade, Saúde e Meio Ambiente, e os programas de Pós-Graduação contam com modernos laboratórios de Genômica Estrutural e Funcional, Carboidratos, Biologia Celular, Biologia Molecular, Bioinformática, e Fermentação em estado sólido. O Setor conta com importantes coleções de Biodiversidade entomológica e vegetal e com um biotério em construção com recursos da FINEP, alem de coleções microbianas e bibliotecas Metagenômicas com DNA isolados de solos da Mata Atlântica e outros ecossistemas específicos.

O Setor de Ciências Exatas abriga 5 PPG. Os pesquisadores participam principalmente dos subprojetos das Áreas de Materiais, Meio Ambiente e Modelagem Computacional e Computação Científica. Dentre os laboratórios disponíveis destacam-se os de Biopolímeros, Química de Fitobiomassa, Química do Estado Sólido, Química Bioinorgânica, Ressonância Magnética Nuclear, Química Ambiental e de Materiais, Dispositivos Eletrônicos Orgânicos, Sensores, Propriedades Nanométricas, Superfícies e Interfaces, Análise Numérica, Computação Científica e Física Matemática.

No Setor de Ciências da Terra, são 5 PPG. Os pesquisadores participam predominantemente dos subprojetos das Áreas de Meio Ambiente e Modelagem e Computação Científica, contando com vários laboratórios (Climatologia, Hidrogeomorfologia, Processamento Digital de Imagem e Geoprocessamento, Geodésia Espacial – Estação da Rede Brasileira de Monitoramento Contínuo GPS, Geofísica Aplicada, Estudos Sedimentológicos, Biogeoquímica e Oceanografia Geográfica).

O Setor de Ciências da Saúde sedia 8 PPG. Os pesquisadores do Setor participam dos dois subprojetos da Área Temática da Saúde (‘Centro Integrado para Análise de Processos Celulares’ e ‘Investigação Científica de Princípios Bioativos Preventivos e Terapêuticos’) e dispõem da infra-estrutura de vários laboratórios equipados e uma central analítica, além do Hospital Universitário (Hospital de Clínicas da UFPR), Hospital do Trabalhador e Maternidade Vitor do Amaral.

No Setor de Ciências Agrárias há 4 PPG. Os pesquisadores compõem principalmente as Áreas Temáticas de Agronegócios, Biodiversidade e Materiais e dispõem de laboratórios de Ecofisiologia, Fitotecnia, Patologia, Fitopatologia, Fitossanidade, Física do Solo, Mineralogia e Biologia do Solo, Manejo Florestal, Silvicultura e Tecnologia de Produtos Florestais, além de quatro fazendas experimentais e um Hospital Veterinário.

O Setor de Tecnologia reúne o maior número de programas, sendo 12 PPG de Mestrado e 6 de Doutorado. Os pesquisadores participam de subprojetos nas Áreas Temáticas de Agronegócios, Materiais e Meio Ambiente.

Pesquisadores dos Setores de Ciências Jurídicas, Ciências Sociais Aplicadas, Educação e Humanas, Letras e Artes (SCHLA) compõem a Área Temática de Sociedade e Cultura. O PPG em Ciências Jurídicas foi o primeiro na UFPR a receber conceito 6 da CAPES. No Setor de Sociais Aplicadas estão instalados 6 PPG e o Setor de Educação é responsável por um PPG. Finalmente, o terceiro maior Setor em número de PPG instalados é o SCHLA, onde três PPG ofertam cursos de M/D e quatro ofertam mestrados.

O último é o Setor de Ensino Profissional e Tecnológico,  o mais novo, que já conta com um programa multidisciplinar de Bioinformática ofertando um curso de mestrado desde 2009.

Alem destes programas a UFPR participa na oferta em rede de mais dois cursos de mestrado: o de Bioenergia, com oferta em associação com outras nove instituições do Estado do Paraná desde 2009 e o mestrado profissionalizante mais recente (primeira turma em 2011), de Formação de Professores de Matemática, ofertado em rede com coordenação pela Sociedade Brasileira de Matemática e pelo Instituto de Matemática Pura e Aplicada (IMPA).

A participação sistemática e continuada da UFPR nos editais PROINFRA do Ministério da Ciência, Tecnologia e Inovação tem permitido a integração e consolidação de grupos de pesquisa multidisciplinares envolvendo todos os Setores e a definição de políticas institucionais e ações transversais para melhoria da qualidade e produtividade da pesquisa e formação de recursos humanos de alto nível na Instituição. Estes recursos do CT-INFRA foram fundamentais para a instalação e consolidação de uma política institucional de laboratórios multiusuários.

Universidade Federal do Paraná
Pró-Reitoria de Pesquisa e Pós-Graduação
Rua Dr. Faivre, 405 - Ed. Dom Pedro II, 1º andar
Centro - CEP: 80060-140
Curitiba (PR), Brasil

Universidade Federal do Paraná
Pró-Reitoria de Pesquisa e Pós-Graduação
Rua Dr. Faivre, 405 - Ed. Dom Pedro II, 1º andar
Centro - CEP: 80060-140
Curitiba (PR), Brasil

Imagem logomarca da UFPR

©2018 - Universidade Federal do Paraná - Pró-Reitoria de Pesquisa e Pós-Graduação

Desenvolvido em Software Livre e hospedado pela Pró-Reitoria de Pesquisa e Pós-Graduação