PROGRAMA DE PÓS-GRADUAÇÃO
ENGENHARIA DE ALIMENTOS

Menu

Objetivos

Proposta

OBJETIVO GERAL:

Propiciar formação de RECURSOS HUMANOS e PRODUÇÃO INTELECTUAL TÉCNICA E CIENTÍFICA de excelência nos diversos campos da Engenharia de Alimentos de forma a promover o desenvolvimento científico, tecnológico e social do País.

OBJETIVOS ESPECÍFICOS:

  1. Produzir conhecimentos técnico-científicos relevantes na área de Engenharia de alimentos.
  2. Desenvolver TEMAS e propiciar CONDIÇÕES (infraestrutura e cooperações) aos discentes do programa visando o desenvolvimento de pesquisa científica transformadora voltada às diversas áreas do processamento de alimentos a fim de atender demandas regionais, nacionais e internacionais;
  3. Aplicar métodos e instrumentações adequados para o desenvolvimento de trabalhos fundamentados em exigências metodológicas técnico-científicas atuais;
  4. Promover a inter-relação entre os projetos do programa, bem como de outros centros de pesquisa nacionais e internacionais, propiciando uma visão multidisciplinar da pesquisa;
  5. Formar docentes de excelência, capazes de atuar no ensino superior e no desenvolvimento do conhecimento na área de engenharia de alimentos;
  6. Formar lideranças em pesquisa e desenvolvimento na área de Engenharia de Alimentos;
  7. Divulgar o conhecimento tanto por meio de veículos especializados (revistas científicas internacionais) quanto empregando ferramentas populares de comunicação de massa (redes sociais) capazes de alcançar o público geral.

O PPGEAL compartilha com a UFPR a visão, missão e valores relacionados ao ensino e pesquisa científica na sua área de atuação (Engenharia de Alimentos).

VISÃO

Se tornar uma instituição de excelência internacional na formação de pesquisadores e docentes e na produção do conhecimento na área de Engenharia de Alimentos.

MISSÃO

Cooperar com o desenvolvimento do ensino, da pesquisa e do setor produtivo brasileiro, principalmente àqueles dedicados à exploração sustentável dos recursos agroindustriais, e dessa forma promover o desenvolvimento cultural, científico, tecnológico, econômico e social do Brasil.

VALORES

Ética

  • Promover o Ensino, Pesquisa e Extensão na área de Engenharia de Alimentos pautado na ética;
  • Administrar o programa (infraestrutura, recursos humanos e financeiros) segundo os preceitos da ética relativas à gestão pública federal, compreendo a sua relevância e compromisso com a sociedade brasileira.

Tradição

  • Compreender a relevância e compromisso histórico do programa na construção do conhecimento e desenvolvimento da pesquisa na área de Engenharia de Alimentos no estado do Paraná.

Ensino

  • Estar na vanguarda no que se refere à conceito, metodologias e tecnologias de ensino em nível de pós-graduação em Engenharia de Alimentos.

Pesquisa e desenvolvimento tecnológico

  • Elevar a ciência brasileira no campo da Engenharia de Alimento à níveis de excelência nacional e internacional por meio de pesquisas fundamentas em sólidas bases científicas e de caráter inovador.

Responsabilidade social

  • Transferir à sociedade os conhecimentos, tecnologias e serviços desenvolvidos no âmbito do PPGEAL, sempre de forma ética, segura e democrática.

Projeção internacional

  • Promover a internacionalização do PPGEAL, tanto na divulgação científica em periódicos internacionais de destaque na área de engenharia de alimentos;
  • Fomentar e criar condições para que os discentes e docentes do programa estabeleçam relações de cooperação com instituições e empresas no âmbito internacional.

Todas as políticas e ações do PPGEAL estão diretamente relacionadas ao seu objetivo, missão, visão e valores.

Perfil do Egresso

Considerando a crescente demanda por profissionais com sólida formação científica; o Mestre e o Doutor formados no PPGEAL em Engenharia de Alimentos, recebem uma base sólida nos fundamentos teóricos, experimentais e metodológicos da área. Apresentam, ao final do curso, competência para aplicar e organizar conhecimentos tanto para solução de problemas científicos e tecnológicos nas suas áreas de pesquisa/estudo, quanto para promover a comunicação oral e escrita das descobertas e resultados alcançados.

Os egressos do PPGEAL compreendem e se vocacionam no uso de metodologias científicas de abordagem dos problemas. Dessa forma, o egresso se torna capaz de atuar no desenvolvimento de projetos não só da sua área de formação, como também é capaz de empregar os princípios da metodologia científica para desenvolver outras expertises. O profissional alcança uma visão geral e principalmente uma visão crítica da pesquisa acadêmico-científica atual na área de Engenharia de Alimentos em nível global, sendo capaz de compreender e promover os principais avanços da área.

Assim, o egresso do programa tem perfil para atender as necessidades de conhecimento e qualificação de pesquisador/cientista, qualificação para a docência das Instituições de Ensino Superior, bem como tem formação para ocupar posições estratégicas no setor industrial, em instituições de pesquisa, de fiscalização e de controle.

Por fim, destaca-se que tem aumentado o número de egressos empreendedores no segmento de mercado e negócios relacionados a Engenharia de Alimentos, configurando ao egresso do PPGEAL um perfil completo e alinhado às exigências atuais.

Histórico e Justificativa

A UNIVERSIDADE FEDERAL DO PARANÁ

Fundada em 19 de dezembro de 1912, a UNIVERSIDADE FEDERAL DO PARANÁ (UFPR) é a mais antiga Universidade do Brasil em funcionamento e sua história está intrinsecamente ligada ao desenvolvimento do Estado do Paraná e do Brasil. 

A UFPR está presente em todas as regiões do estado através dos seus Campi: Curitiba (Multicampi), Matinhos (Campus Litoral), Pontal do Sul (Centro de Estudos do Mar), Palotina (Campus Palotina), Jandaia do Sul (Campus Jandaia do Sul). Além disso, conta com as Unidades Acadêmicas de Mirassol, de Maripá e de Toledo; com o Museu de Arqueologia e Etnologia de Paranaguá; com o Centro de Administração Federal (Paranaguá) e as Fazendas Experimentais em Pinhais, Bandeirantes, Castro, Paranavaí, Rio Negro e São João do Triunfo.

A pós-graduação da UFPR tem uma história de mais de 50 anos. A abertura do primeiro Programa de Pós-Graduação (PPG), em Bioquímica, ocorreu em 1965 e este ainda é o programa mais antigo na área das Ciências Biológicas da CAPES. Na década de 80, o PROGRAMA DE PÓS-GRADUAÇÃO EM ENGENHARIA DE ALIMENTOS (PPGEAL) surge como o primeiro PPG do Setor de Tecnologia ? setor que abriga os cursos de engenharia e arquitetura da UFPR. O PPGEAL foi criado em 1983 como PPG de Tecnologia Química. 

Atualmente, a UFPR está entre as 5 (cinco) maiores Instituições Federais de Ensino Superior do país quando se considera o número de cursos de pós-graduação stricto sensu em atividade. A UFPR possui cursos em 47 (quarenta e sete) das 50 (cinquenta) áreas de conhecimento vigentes na CAPES; tornando-se, portanto, protagonista na formação de recursos humanos no país. A UFPR é a terceira instituição do sul do país que mais contribui para a formação de Mestres e Doutores e é responsável pela titulação de 40% de todos os doutores do estado do Paraná.
    

A UFPR conta com 89 (oitenta e nove) programas de pós-graduação stricto sensu, sendo 11 (onze) vinculados a redes nacionais ou estaduais. Dentre os 74 programas acadêmicos da UFPR, 61 (83%) ofertam formação de doutorado, o que revela sua destaca participação nas atividades de pesquisa e pós-graduação do país. A UFPR possui 10 (dez) PPGs de excelência: três programas com conceito 7 CAPES e sete programas com conceito 6, além de possuir 28 (vinte e oito) programas com conceito 5 (cinco) e 34 (trinta e quatro) programas com conceito 4. Estes indicadores refletem o compromisso institucional com a produção do conhecimento e com a formação de recursos humanos de alto nível.

PROGRAMA DE PÓS-GRADUAÇÃO EM ENGENHARIA DE ALIMENTOS (PPGEAL)

O Programa de Pós-Graduação em Engenharia de Alimentos (PPGEAL) ? vinculado ao Departamento de Engenharia Química (DEQ) do Setor de Tecnologia e sob a gerência da Pró-Reitoria de Pesquisa e Pós-Graduação da Universidade Federal do Paraná (UFPR) ? foi IMPLANTADO em 1983 como Curso de Mestrado em Tecnologia Química e CREDENCIADO pela CAPES/MEC em 1993. A CRIAÇÃO DO CURSO DE DOUTORADO ocorreu em 1999 e foi oficializado em 2002 pela CAPES/MEC. Àquela época o programa era nominado de ?Programa de Pós-Graduação em Tecnologia de Alimentos (Mestrado e Doutorado)?. Nos anos 2000 o programa experimentou mudanças no perfil do seu corpo docente em virtude de aposentadorias e contratações de novos docentes. Também nesta época, o programa começa a perceber a necessidade de ocupar outros espaços no desenvolvimento científico, tecnológico, social e econômico no estado do Paraná. Desta forma, em 2011 foi aprovada a alteração de denominação do programa de mestrado e doutorado para o atual: PROGRAMA DE PÓS-GRADUAÇÃO EM ENGENHARIA DE ALIMENTOS (PPGEAL/UFPR). Devido a consolidação dos trabalhos da renovada comunidade docente e seus discentes, no ano de 2017 a CAPES avaliou e concedeu ao PPGEAL o CONCEITO 5. É oportuno destacar que esta nova conceituação coroou a mudança de paradigma implantado no programa em que as publicações de cunho regional foram gradativamente superadas pelas publicações em veículos internacionais de alto impacto (revistas dos estratos A1 e A2 do QUALIS/CAPES). As melhoras qualitativas e quantitativas apresentadas na produção em pesquisas, formação recursos humanos qualificado, interação com mercado e sociedade e internacionalização foram motivadores para a justa avaliação do PPGEAL no seu último quadriênio.

Neste momento, o PPGEAL compreende a importância que tem para a região e para o país e, por isto, devota muitos dos seus trabalhos ao estudo da aplicação racional e sustentável dos RECURSOS NATURAIS do estado do Paraná e de outros biomas do Brasil. Estes temas têm sido abordados nos últimos anos empregando métodos e técnicas alinhados com os mais rigorosos níveis de exigências impostos pelas revistas internacionais de alto impacto.
    

Deve-se ainda destacar que nesse mesmo período o PPGEAL elevou a QUALIFICAÇÃO DO SEU CORPO DOCENTE. São vários os docentes que realizaram estágio pós-doutoral no exterior e que apresentam estreita relação de cooperação com pesquisadores de instituições estrangeiras. Ainda nesse aspecto, o corpo docente do PPGEAL é composto na sua grande maioria (aproximadamente 77%) por BOLSISTAS em Pesquisa do CNPq.

LINHAS E PROJETOS DE PESQUISA

Atualmente, os projetos de pesquisa do programa estão assim divididos nas linhas de pesquisa:

Linha de Pesquisa: ENGENHARIA DE PROCESSOS NA INDÚSTRIA DE ALIMENTOS

1. Engenharia de bioprocessos na indústria de alimentos
2. Modelagem e otimização de processos alimentícios
3. Processos de separação e transformação na indústria de alimentos
4. Propriedades termodinâmicas de alimentos
5. Tratamento de efluentes na indústria de alimentos.

Linha de Pesquisa: CIÊNCIA E TECNOLOGIA DE PROCESSOS E PRODUTOS ALIMENTÍCIOS

1. Desenvolvimento de produtos de origem animal
2. Desenvolvimento de produtos de origem vegetal
3. Qualidade e segurança alimentar

       

A linha de pesquisa ENGENHARIA DE PROCESSOS NA INDÚSTRIA DE ALIMENTOS objetiva avaliar todos os aspectos relacionados ao processamento de alimento. Nesta linha são abordados desde os aspectos fundamentais, como determinação experimental e teórica de propriedades termodinâmicas e de equilíbrio de fases, até o desenvolvimento de processos de separação e de transformação. Os projetos ligados à engenharia de bioprocessos e ao tratamento de efluentes demonstram que as pesquisas do programa estão relacionadas a todas as etapas pertencentes a indústria de alimentos. Por fim, unindo todas as áreas surgem os trabalhos devotados à modelagem e otimização dos processos industriais da área de alimentos.
       

Os trabalhos desenvolvidos nessa linha de pesquisa apresentam um enfoque em temas atuais, como uso de ?solventes verdes? empregados na extração, separação e purificação de compostos fenólicos, proteínas, flavonoides e aminoácidos de interesse das indústrias de alimentos, aproveitamento sustentável de matrizes provenientes da Mata Atlântica e processos de secagem (spray dryer, desidratação por camada de espuma, congelamento a vácuo como pré-tratamento na liofilização). No que se refere aos processos de separação, os trabalhos têm contemplado desde operações clássicas (destilação, adsorção e extração líquido-líquido) até operações não convencionais (separação por membranas e extração com fluido supercrítico e pressurizado). Os trabalhos relacionados aos processos biotecnológicos têm abordado tratamento enzimático acoplado com membranas no tratamento do soro de leite e destilação com reciclo adequado para produção de bebidas sem álcool. Além disso; com o reaproveitamento de resíduos agroindustriais tem-se desenvolvido matrizes poliméricas, filmes e embalagens biodegradáveis além de catalisadores empregando a nanotecnologia. Ressalta-se ainda o desenvolvimento de bioprocessos para o desenvolvimento de coadjuvantes e biocoadjuvantes de interesse industrial.

  

A linha de CIÊNCIA E TECNOLOGIA DE PROCESSOS E PRODUTOS ALIMENTÍCIOS tem atuado no estudo do efeito do processamento sobre as características tecnológicas e/ou funcionais de matrizes de origem vegetais e animais com a aplicação da Ciência de Alimentos e Metodologias Analíticas Instrumentais de última geração, como cromatografia líquida de ultra performance (UPLC) e espectroscopia na região do infravermelho próximo (NIR). Nesse contexto, alguns trabalhos dessa linha de pesquisa têm se dedicado na obtenção e caracterização de compostos bioativos provenientes de matrizes e resíduos de grande incidência na região. Em alguns estudos, tem-se conseguido propor o aproveitamento quase que completo de espécies nativas da região e, assim, criando-se bases para o desenvolvimento de produtos e processos sustentáveis. Alguns trabalhos têm se destacado na melhoria e segurança alimentar no processamento de produtos cárneos, de panificação, de bebidas, de laticínios, mel e de novos produtos, além da valorização de resíduos agroindustriais. A caracterização, estudo reológico e a análise sensorial de novos produtos também tem sido foco dos trabalhos desta linha de pesquisa.
    

De forma transversal às duas linhas de pesquisa, os trabalhos do PPGEAL têm estudado matrizes vegetais e seus coprodutos tais como café, erva-mate, pinhão, soja, gengibre, yacon, cana de açúcar; frutas; plantas medicinais, aromáticas e condimentares, além espécies nativas da Mata Atlântica, sendo algumas de caráter exótico.
    

Como demonstrado, as duas linhas de pesquisa do programa se completam na abordagem dos problemas relativos ao processamento de alimentos. Também comum às duas linhas está o fato de ambas abordarem temas atuais, além de empregarem métodos e técnicas modernas e alinhadas às exigências das melhores revistas da área.
       

Por meio de um processo de AUTOAVALIAÇÃO que objetiva a melhoria contínua, encontram-se neste momento em fase de discussão, alterações nos projetos de pesquisa que reflitam a atuação atual do programa.
 

Disponibilizado via SIGA UFPR

Universidade Federal do Paraná
ENGENHARIA DE ALIMENTOS
Av. Francisco Heráclito dos Santos, 100
Centro Politécnico - Curitiba
Telefone: (41) 3361-3232
E-mail: posalim@ufpr.br

Universidade Federal do Paraná
ENGENHARIA DE ALIMENTOS
Av. Francisco Heráclito dos Santos, 100
Centro Politécnico - Curitiba
Telefone: (41) 3361-3232
E-mail: posalim@ufpr.br

Imagem logomarca da UFPR

©2022 - Universidade Federal do Paraná - ENGENHARIA DE ALIMENTOS

Desenvolvido em Software Livre e hospedado pela Pró-Reitoria de Pesquisa e Pós-Graduação