PROGRAMA DE PÓS-GRADUAÇÃO
DESENVOLVIMENTO ECONÔMICO

Menu

Proposta Curricular

Estrutura Curricular

A formação de um economista profissional especializado em Desenvolvimento Econômico implica na oferta de um conjunto de disciplinas e de atividades de pesquisa nas quais o estudo teórico, quantitativo e histórico sejam combinados na matriz de formação do conhecimento. No nível de mestrado, o curso exige as seguintes disciplinas obrigatórias: Microeconomia I, Macroeconomia I, Econometria e Desenvolvimento Econômico I. No Doutorado, reforça-se essa formação acrescentando-se mais duas disciplinas obrigatórias no eixo de Teoria Econômica: Macroeconomia II ou III; e Microeconomia II ou III. Em ambos os cursos, o nivelamento em métodos quantidades e estatísticas é realizado entre janeiro e fevereiro, de forma a garantir que os alunos estejam preparados para cursar essas disciplinas.

As disciplinas obrigatórias, seguem os fundamentos gerais dos cursos de pós-graduação em Economia no Brasil e no mundo, fornecendo a formação básica em Teoria Econômica e Métodos Quantitativos. Fica assim assegurada a transferência de conhecimentos e formação no que pode ser denominado de núcleo duro da Economia. Na sequência, a disciplina de Desenvolvimento Econômico I, também obrigatória, visa consolidar a aplicação dos conhecimentos tanto em Teoria Econômica quanto em métodos quantitativos aplicados à problemática do desenvolvimento, trazendo discussões em diferentes temáticas, com Pobreza, Desigualdade, Educação, Saúde, Mercados de Crédito, Comércio Internacional e Meio ambiente. O foco da disciplina é relacionar modelos teóricos de cada temática e trazer discussões de aplicações recentes e publicadas nas principais revistas da área.

Além dessas disciplinas, os seminários semanais são obrigatórios para o primeiro ano de mestrado e para os dois primeiros anos do doutorado, permitindo aos alunos contato direto com as pesquisas recentes desenvolvidas tanto por professores do programa quanto por pesquisadores de outras universidades.

Adicionalmente, um diversificado elenco de disciplinas optativas permite direcionar o aluno para diversas áreas que se inserem na problemática geral do desenvolvimento econômico, propiciando uma perspectiva de formação pluralista que promove o diálogo entre as diversas visões teóricas que compõem o campo da Ciência Econômica. Em 2019, foram ofertadas as optativas de: Otimização Dinâmica (Prof. Armando Vaz de Sampaio), Tópicos Avançados em Equilíbrio Geral Computável (Profa. Terciane Sabadini e Prof. Vinícius Vale), História do Pensamento Econômico (Prof. Eduardo Angeli), Economia Comportamental (Prof. Adriana Sbicca), Macroeconometria (Prof. Marcos Hasegawa), e Avaliação de Políticas Públicas (Prof. Paulo de Andrade Jacinto).

Em todas as disciplinas optativas e em algumas disciplinas obrigatórias (como Econometria e Desenvolvimento Econômico I), os alunos são incentivos a desenvolverem artigos científicos, iniciando ou dando continuidades às suas atividades de pesquisa. Além disso, após cumpridas todas as disciplinas exigidas, a experiência na prática de ensino é estimulada por meio da exigência que os alunos de mestrado realizem um semestre de estágio docência e que os alunos de doutorado realizem dois semestres de estágio de docência, sendo obrigatória para todos os alunos bolsistas. Também é requerido que os alunos de mestrado realizem um seminário de dissertação e os alunos de doutorado realizem dois seminários de tese, estimulando a interação e trocas de experiência no processo de pesquisa. Esses seminários ocorrem antes da qualificação dos alunos, de forma que eles possam ter um feedback inicial dos desenvolvidos de suas teses e dissertações, antes da avaliação da banca.

Experiências Inovadoras de Formação

O programa possui forte comprometimento com a estratégia de internacionalização e produção intelectual qualificada. Nesse sentido, as práticas pedagógicas buscam preparar os discentes para a inserção internacional e induzem sua produção intelectual. Há cerca de quatro anos, a disciplina Microeconomia I tem sido ministrada em língua inglesa. Além disso, os discentes são estimulados, embora de forma não obrigatória, a escreverem artigos em língua inglesa em algumas disciplinas eletivas.

Cabe destacar ainda que o programa está inserido no projeto institucional da UFPR no âmbito do PRINTCAPES (Programa Institucional de Internacionalização da CAPES). O programa participa de 3 projetos com a participação de 9 de seus docentes permanentes.

Os discentes estão sendo incorporados no projeto PRINT, principalmente nas ações de doutorado sanduíche. Adicionalmente, as ações do PRINT contemplam a realização de minicursos ministrados por pesquisadores internacionais. Dessa forma, busca-se aprimorar novamente as competências dos discentes para a internacionalização. Os discentes também são envolvidos em atividades extracurriculares desenvolvidas pelo programa e que contribuem para o fortalecimento de suas competências de ensino. Por exemplo, no ano de 2018 o programa organizou o Encontro da Anpec-Sul e realizou uma Escola de Inverno junto ao evento, na qual foram ofertados 4 minicursos avançados: Análise Econômica Espacial, Behavioral Economics: teoria e aplicações, Complexidade e Modelagem Baseada em Agente com LSD, Teorias do Comércio Internacional. Esses minicursos foram ministrados por docentes do programa e contaram com a assistência técnica dos discentes, seja apresentando tópicos específicos ou auxiliando nos exercícios desenvolvidos durante os minicursos.

No ano de 2019, professores e alunos do PPGDE organizaram a 7º Conferência da Associação Latino Americana de História do Pensamento Econômico (ALAHPE), sob a coordenação do Prof. Felipe Almeida. Essa conferência ocorreu nos dias 20, 21 e 22 daquele ano e sua estrutura foi dividida em palestras, mesas-redondas e sessões paralelas. Na abertura do evento, ocorreu a palestra do professor Mauro Boianosky (UnB). No segundo dia do evento, aconteceu a palestra da professora Marianne Johnson (University of Winsconsin – Oshkosh) e no terceiro e último dia, ocorreu a palestra do professor Jeremy Adelman (Princeton University). No dia de abertura, ocorreu a mesa-redonda ?A evolução da metodologia de pesquisa em História do Pensamento Econômico?. No dia seguinte, foi debatido ?A organização da História do Pensamento Econômico na América Latina? em uma segunda mesa-redonda. Por fim, o congresso contou com 47 sessões paralelas distribuídas ao longo dos três dias, nessas sessões foram apresentados 130 artigos científicos. Os temas das sessões paralelas foram, em linhas gerais: Pensamento Latino Americano, Economia Institucional, Economia monetária, Pensamento europeu, Economia Austríaca, Pensamento liberal, Pensamento Marxista, Economia matemática, História da macroeconomia, Economia Clássica, Metodologia e História das teorias do desenvolvimento econômico.

Ademais, o projeto ?Building Capacity in Collaborative Research on Complexity and Economic Development?, uma parceria entre o Núcleo de Economia e Complexidade (NeX), coordenado pelo prof. João Basílio, e a Science Policy Research Unit (SPRU), da Universidade de Sussex, realizaram em Curitiba diversos eventos entre 2018 e 2019, com a participação de alunos e pesquisadores nacionais e internacionais. Em ambos os anos, foram realizadas em dezembro duas edições da “Summer School on Computational Methods and Agent Based Modelling in Economics”. Em ambas as edições, a vinda de alunos teve o apoio do INET (New Economic Thinking). A última edição contou com a participação de 21 alunos, entre estudantes de mestrado, doutorado e pesquisadores de diferentes países da América Latina e Europa. Ainda em 2019, o mesmo projeto financiou a “Workshop on Economic Complexity and Development”, entre nos dias 9 e 10 de dezembro de 2019, e contou com a presença de 40 participantes, entre pesquisadores, estudantes de graduação e pós-graduação, além de gestores públicos. Entre os palestrantes, destacam-se Andres Gomez-Lievano (Harvard University, USA), Andrea Tacchella (European Commission ? Joint Researche Centre, Seville, Spain), Andrea Zaccaria (Institute for Complex System, Italy), e Hyejin Youn (Kellogg School of Management, USA).

Ensino à Distância

Em um momento em que as atividades de ensino à distância crescem mundialmente e são incentivadas no ensino superior e especialmente na pós-graduação, a UFPR inovou o processo de ensinoaprendizagem ao lançar disciplinas que podem ser cursadas tanto de forma presencial quanto remota, oferecendo aulas de que podem ser assistidas ao vivo e de outros locais (fisicamente distantes) mantendo a interação entre professores e alunos.

Considerando que muitas disciplinas formativas (como Estatística, Metodologia da Pesquisa, Escrita Acadêmica em Inglês, Filosofia da Ciência, por exemplo) são comuns (transversais) a um conjunto de programas de pós-graduação e que estas mesmas disciplinas são ofertadas no seio de cada programa, a UFPR buscou desenvolver alternativas que qualificassem a oferta e, ao mesmo tempo, ampliassem o acesso às atividades de ensino stricto sensu.

Neste contexto, com o objetivo de disseminar conhecimento de fronteira, possibilitando a participação de convidados de referência internacional em cada área de conhecimento para ministrar disciplinas formativas, foi criado o projeto de ?Disciplinas Transversais? da UFPR.

Com a consolidação deste projeto, alunos da UFPR passaram a ter acesso a aulas de alto nível, ministradas professores que são referência internacional em sua área de conhecimento, com convidados com alto fator de impacto e contando ainda com o apoio de tutores para acompanhar o desempenho individual de cada aluno.

Os Programas de Pós-graduação, por sua vez, passaram a contar com ferramenta de inovação de ensino, concentrando seus esforços em disciplinas específicas e em pesquisa além de terem acesso à ferramentas de internacionalização além da ampliação de perspectivas de colaborações internacionais.

Com tecnologia própria, a UFPR desenvolveu uma plataforma virtual que permite transmitir aulas em tempo real. Os alunos do modo remoto podem interagir ao vivo por meio de um chat direto, além de terem acesso aos materiais didáticos usados bem como à gravação de todas as aulas, dispondo de um acompanhamento especial realizado por tutores. Nesse sentido, a oferta de disciplinas transversais da UFPR não se trata de EaD, mas de um modelo híbrido em que alunos cursam disciplinas presencial e remotamente com transmissão e interação entre alunos e professores em tempo real.

Em 2019, foram ofertadas 5 disciplinas nesse formato: Escrita Acadêmica em Inglês, Filosofias da Ciência e da Tecnologia, Metodologia de Pesquisa Científica, Métodos Estatísticos em Pesquisa Científica e Research Data Management in data intensive Computing.

A disciplina de ?Gestão de Dados em Pesquisa? (Research Data Management in Data Intensive Computing) foi ministrada em inglês por 5 docentes da UFPR e 7 docentes de duas universidades alemãs – Freiburg e Ulm. Foram ofertadas 100 vagas para a modalidade presencial e 150 para a remota e as gravações foram realizadas em parceira com a UFPR TV.

A disciplina de ?Filosofias da Ciência e da Tecnologia?, cujas aulas excederam à abordagem filosófica procurando combiná-la às abordagens históricas e sociológicas, foi ministrada pelo professor Eduardo Salles de Oliveira Barra com a participação de professores convidados, de pesquisadores da UFPR e de seus colaboradores de outras universidades nacionais e internacionais, todos eles referência nesta área de conhecimento. Adicionalmente, as últimas aulas desta disciplina foram integradas à programação da Escola Paranaense de História e Filosofia da Ciência e da Tecnologia (Escola HFC&T 2019), evento que é uma promoção conjunta da UFPR e UTFPR e que, ao lado da Escola USP de História das Ciências e a Escola de História da Ciência da UFMG, compõe a Rede Brasileira de Escolas de História da Ciência. A oferta compreendeu 100 vagas para a modalidade presencial e 150 para a remota.

Outras iniciativas estão sendo propostas e espera-se ampliar o escopo das disciplinas ofertadas nos modos presencial e remoto. Assim, a UFPR assume protagonismo nesta ação inovadora de ensino.

Disponibilizado via SIGA UFPR

Universidade Federal do Paraná
DESENVOLVIMENTO ECONÔMICO
AV. PREFEITO LOTHARIO MEISSNER, 632
JARDIM BOTANICO - CURITIBA
Telefone:(41) 3360-4400
E-mail: ppgde@ufpr.br

Universidade Federal do Paraná
DESENVOLVIMENTO ECONÔMICO
AV. PREFEITO LOTHARIO MEISSNER, 632
JARDIM BOTANICO - CURITIBA
Telefone:(41) 3360-4400
E-mail: ppgde@ufpr.br

Imagem logomarca da UFPR

©2020 - Universidade Federal do Paraná - DESENVOLVIMENTO ECONÔMICO

Desenvolvido em Software Livre e hospedado pela Pró-Reitoria de Pesquisa e Pós-Graduação