Menu

Objetivos

Proposta

1. Objetivos gerais do PPG-Letras

São objetivos gerais do Programa:

– Formar mestres e doutores com alto nível de qualificação profissional, destinados ao ensino e à pesquisa nas áreas de Linguística e Literatura, bem como à atuação em setores educacionais, culturais e editoriais altamente especializados das áreas de Letras e de áreas afins;

– Formar mestres e doutores capazes de intervir criticamente nos debates do mundo contemporâneo, especialmente nos casos em que se faz pertinente a contribuição profissional dos diversos campos de especialidade das áreas de Letras;

– Formar mestres e doutores capazes de contribuir nacional e internacionalmente para a produção de conhecimento nas áreas de Letras, bem como para o desenvolvimento de seus campos específicos de atuação;

– Desenvolver nos discentes e estimular nos docentes a disposição e a capacidade para a pesquisa individual e em rede, articulada interna e interinstitucionalmente no espaço dos projetos, das linhas e dos grupos de pesquisa;

– Estimular e apoiar o processo de criação, institucionalização e consolidação de diferentes vertentes da pesquisa e da formação nas áreas de Letras, especialmente nos campos de atuação em que se inscrevem as linhas de pesquisa do Programa;

– Estimular e apoiar ações de docentes e discentes que resultem em produção intelectual qualificada e relevante, de impacto nacional e internacional nas áreas de Letras;

– Estimular e apoiar, em nível local e regional, as ações de pesquisa e extensão voltadas para a divulgação científica, para o apoio pedagógico e para a formação continuada de professores da educação básica;

– Estimular e apoiar as ações voltadas para o acompanhamento e para a qualificação continuada de egressos do PPG-Letras e de egressos de outros programas de pós-graduação;

– Contribuir para a inserção e para a visibilidade, em nível nacional e internacional, da pesquisa e da produção intelectual de docentes e discentes do Programa;

– Contribuir para a difusão, em nível internacional, da literatura brasileira, dos estudos do português falado no Brasil e da produção acadêmica brasileira nas áreas dos estudos literários e linguísticos.

Em nível de Mestrado, em suas duas áreas de concentração, o Programa tem por objetivo formar profissionais capazes de atuar com competência na pesquisa, na docência e/ou nos campos de especialidade das áreas de Letras, bem como de dar continuidade a sua formação acadêmica em nível de doutorado. A pesquisa desenvolvida durante o Mestrado deve conduzir à elaboração de uma dissertação, cuja defesa faz jus ao grau de Mestre em Letras.

Em nível de Doutorado, em suas duas áreas de concentração, o Programa tem por objetivo formar profissionais com alto nível de qualificação, capacidade de reflexão e autonomia crítica para o exercício independente da pesquisa, da docência e/ou de outras atividades especializadas das áreas de Letras. A pesquisa desenvolvida durante o Doutorado deve conduzir à elaboração de uma tese, cuja defesa faz jus ao grau de Doutor em Letras.

2. Objetivos específicos da área de concentração em Estudos Literários

São objetivos específicos da área de concentração em Estudos Literários:

– Desenvolver e apoiar pesquisas sobre os fenômenos literários a partir de perspectivas críticas e teóricas plurais, consideradas sua diversidade linguístico-cultural e sua relação com diferentes áreas de conhecimento;

– Desenvolver e apoiar pesquisas sobre o lugar da literatura no mundo contemporâneo e suas contribuições para os grandes debates da contemporaneidade nas demais áreas de Letras e em outras áreas do conhecimento;

– Desenvolver e apoiar pesquisas sobre a literatura em perspectiva histórica, bem como sobre questões da historiografia e da crítica literárias;

– Desenvolver e apoiar pesquisas que permitam problematizar os cânones culturais e os processos de fixação de cânones vigentes, em diferentes momentos históricos, explorando as relações entre tradições e/ou sistemas literários, modelos historiográficos e diferentes tendências da teoria literária;

– Desenvolver e apoiar pesquisas sobre a figuração e a apropriação de diferentes formas discursivas no discurso literário;

– Desenvolver e apoiar pesquisas sobre as relações estéticas entre a literatura e outras linguagens;

– Desenvolver e apoiar pesquisas sobre as relações poéticas e políticas entre a literatura e os diferentes sistemas culturais em que ela se inscreve;

– Desenvolver e apoiar pesquisas sobre a dimensão de alteridade que a literatura e a tradução representam e constituem, como modo de expressão e/ou de construção identitária;

– Desenvolver e apoiar pesquisas sobre a tradução literária, tendo em vista suas dimensões crítica, histórica e sociocultural, assim como aspectos teórico-epistemológicos da tradução literária como modo e lugar de relação entre culturas, sociedades e sistemas poéticos;

– Desenvolver estudos sobre a tradução literária como forma de criação, reescrita, edição, leitura e/ou recepção da obra literária.

3. Objetivos específicos da área de concentração em Estudos Linguísticos

São objetivos específicos da área de concentração em Estudos Linguísticos:

– Desenvolver e apoiar a realização de estudos avançados em teoria linguística, estimulando as reflexões de fundo epistemológico sobre as teorias linguísticas;

– Desenvolver e apoiar a realização de estudos sobre movimentos da história, da historiografia e da filosofia linguística;

– Desenvolver e apoiar pesquisas voltadas para a descrição de níveis e aspectos das línguas naturais;

– Desenvolver e apoiar pesquisas voltadas para a análise de dados linguísticos a partir de bancos de dados disponíveis e em construção;

– Desenvolver e apoiar pesquisas voltadas para o estudo do processamento das línguas naturais e sua interface com novas tecnologias de reconhecimento, produção e sintetização de texto;

– Desenvolver e apoiar a realização de estudos tipológicos e a descrição de línguas e dialetos;

– Desenvolver e apoiar a realização de estudos teóricos e empíricos sobre os usos da linguagem na interação social e em situações de bilinguismo e de contato entre línguas ou variedades da mesma língua;

– Desenvolver e apoiar pesquisas sobre o uso da linguagem a partir de diferentes perspectivas teóricas do texto, do discurso e da pragmática, em suas respectivas interfaces com as demais áreas da linguística e das ciências humanas;

– Desenvolver e apoiar pesquisas voltadas para a análise linguística do português, em suas variedades brasileira e europeia;

– Desenvolver e apoiar pesquisas sobre a aplicação de teorias linguísticas ao ensino/aprendizagem de línguas;

– Desenvolver e apoiar pesquisas sobre aquisição, aprendizagem e ensino de línguas estrangeiras;

– Desenvolver e apoiar pesquisas sobre os processos de formação/educação inicial e continuada de professores de línguas e literaturas;

– Desenvolver e apoiar a realização de estudos sobre a presença e a difusão do idioma, da cultura e das literaturas de língua alemã no Brasil, estimulando a reflexão sobre diferentes aspectos do ensino, da aprendizagem e da mediação cultural;

– Estimular e apoiar o desenvolvimento de aplicações dos estudos linguísticos a novas tecnologias e outras áreas do conhecimento.

Perfil do Egresso

O perfil do profissional formado pelo PPG-Letras é consequência direta dos esforços empenhados para atingir os objetivos gerais e específicos delineados pelo Programa. Em síntese, buscamos formar: um profissional altamente qualificado para a docência, para a pesquisa e/ou para a atuação nos campos de especialidade das áreas de Letras e de áreas afins, mas ao mesmo tempo sensível às fragilidades sociais de seu entorno; um profissional atento aos movimentos do mundo contemporâneo, tanto no que diz respeito às inovações, teorias e tecnologias de ponta quanto no que concerne aos debates atuais sobre questões de relevância cultural, social e política; um profissional, enfim, consciente de seu papel e compromisso com a qualidade da educação básica e da educação superior, campos profissionais em que se insere por meio de uma atuação direta (no ensino de línguas, literaturas etc.) ou indireta (na pesquisa, na formação básica e/ou na qualificação continuada de professores). A identificação do perfil real de atuação de nossos egressos, nesse sentido, é parâmetro importante para a avaliação do Programa, na medida em que gera subsídios para a discussão e implementação de ajustes que se façam necessários.

Desde o triênio 2010-2012, o Programa procura identificar o destino e o perfil de atuação de seus egressos. Em 2019, no contexto das discussões da Comissão de Avaliação do PPG-Letras, estabeleceu-se uma Política de Acompanhamento de Egressos, organizada em torno de 04 objetivos principais: 1) desenvolver estratégias para uma identificação cada vez mais abrangente e precisa dos dados de atuação profissional dos egressos; 2) estimular e apoiar ações que contribuam para a aproximação entre egressos, mestrandos, doutorandos e também graduandos dos Cursos de Letras; 3) estimular e apoiar ações que contribuam para a visibilidade da produção intelectual de destaque dos egressos; e 4) desenvolver estratégias para a formação de uma comunidade ativa de egressos do Programa.

1. Estratégias do PPG-Letras para identificar a atuação profissional dos egressos

O Programa conta com 03 estratégias principais (e complementares) para realizar o acompanhamento de seus egressos: o Portal Institucional de Egressos da UFPR, a coleta de dados de atuação profissional e produção intelectual de nossos ex-alunos e, a partir de 2020, o Alumni PPG-Letras-UFPR.

1.1. Portal Institucional de Egressos da UFPR

A Universidade Federal do Paraná desenvolveu um sistema de gestão acadêmica (plataforma SIGA) que, desde sua atualização de 2016 (versão 2.0), disponibiliza um Portal de Indicadores de toda a instituição. É a partir de dados gerados por essa plataforma que podemos contextualizar o PPG-Letras no universo de programas stricto sensu da UFPR. Considerando o intervalo dos últimos dois quadriênios até o momento (2013-2019), identificamos que entre os 89 programas da instituição, o PPG-Letras é o 3º maior em número de docentes e o 2º maior em número de discentes; e que entre os 11 programas da área de Humanas na instituição, o PPG-Letras é o maior em número de docentes, em número de discentes e também em média anual de produção intelectual.

Desde 2019, a política de acompanhamento do aluno egresso da UFPR conta com uma ferramenta específica, desenvolvida com tecnologia própria da instituição: o Portal Institucional de Egressos. Essa ferramenta é uma nova funcionalidade do Portal de Indicadores da plataforma SIGA e foi implementada especificamente para acompanhar a trajetória e a inserção dos alunos titulados pela UFPR no mercado de trabalho. Trata-se de um projeto integrado com o Cadastro Geral de Empregados e Desempregados (CAGED) e com a plataforma Lattes, resultado de uma parceria entre a UFPR, o CNPq, a CAPES, o Ministério do Trabalho e a Receita Federal.

As informações são atualizadas em tempo real e permitem acompanhar os egressos que estão na área acadêmica, disponibilizando dados de produção intelectual por até 5 anos após a titulação. A partir do CPF, é possível identificar a relação dos egressos com empresas, ou se são profissionais autônomos. Com os dados do Ministério do Trabalho é possível mapear o local (cidade e estado) e o perfil de atuação: dados do IBGE indicam a distribuição dos egressos nos subsetores de ocupação, enquanto os dados da CNAE (classificação nacional de atividade econômica) detalham seus campos de atuação profissional. Os dados são públicos, mas sua visualização não compromete a privacidade dos egressos.

O Portal de Egressos está disponível no Portal de Indicadores do SIGA-UFPR, e pode ser acessado a partir do seguinte link: https://siga.ufpr.br/indicadores

1.2. Coleta de dados de atuação e de produção intelectual

A coleta dos dados de atuação e de produção intelectual dos egressos é realizada de dois modos diferentes: por meio de um Formulário (online), preenchido pelo próprio egresso, e por meio de consulta à plataforma Lattes, realizada pela Secretaria do Programa.

O Formulário de Coleta de Dados de Atuação e de Produção Intelectual, que teve sua primeira versão criada no triênio 2010-2012, é a estratégia mais antiga do Programa para a obtenção de informações sobre a atuação e a produção de seus ex-alunos. Embora tenha tido diferentes formatos ao longo dos anos, trata-se, ainda hoje, do instrumento que nos oferece a base de dados mais consistente, uma vez que o formulário é preenchido pelos próprios egressos. No entanto, por depender da disposição e/ou disponibilidade do informante, há também uma variação considerável no número de respostas ao formulário a cada ano: entre 2017 e 2019, esse número vem oscilando entre cerca de 55 e 65% do universo de egressos. Contudo, ainda que esse instrumento não se prove capaz de alcançar a totalidade de egressos (foram 61,5% de respostas em 2019), algumas das informações coletadas são de primeira importância, como, por exemplo, a autodeclaração dos destaques individuais da produção intelectual e a descrição das atividades atuais (importante no caso de egressos que atuam concomitantemente em várias áreas ou em várias instituições) etc.

Para a complementação desses dados, a Secretaria do Programa recorre à consulta da plataforma Lattes e do sistema de gestão acadêmica da instituição (SIGA), procedimento que vem se mostrando especialmente exitoso no caso de egressos que continuam atuando na mesma área de formação ou em áreas afins.

1.3. Alumni PPG-Letras-UFPR

O Alumni PPG-Letras-UFPR é um dos primeiros projetos resultantes dos trabalhos da Comissão de Autoavaliação, criada em 2019. Seguindo um movimento que é tradicional em universidades de outros países e que vem se disseminando nacionalmente nos últimos anos ? induzido mais recentemente pela própria CAPES e incentivado pela política institucional da UFPR ?, o PPG-Letras, que em 2020 realiza sua 1000ª defesa, reconhece a importância das ações de acompanhamento do universo cada vez maior de seus egressos.

O projeto Alumni, como desdobramento da Política de Acompanhamento de Egressos criada em 2019, consiste em criar um espaço institucional de convivência, troca e diálogo entre os egressos e entre egressos e alunos matriculados no Programa. Esse projeto tem como horizonte, a médio e longo prazo, a transformação progressiva da lista de ex-alunos em uma comunidade ativa de egressos do PPG-Letras.

Como primeira ação concreta do projeto, o Programa propôs, a partir de 2020, edições anuais de seu Encontro Alumni PPG-Letras-UFPR. A organização do evento, sob a responsabilidade da Comissão de Autoavaliação, convidará egressos de destaque em áreas de referência do Programa (para a apresentação de suas pesquisas mais recentes) e pesquisadores de renome nessas mesmas áreas de especialidade, abrindo inscrições também para outros egressos interessados em apresentar seu trabalho. Além de criar um espaço de encontro ?de? egressos e ?para? os egressos, essa iniciativa tem ainda dois outros objetivos: estimular a aproximação entre egressos, mestrandos e doutorandos do Programa e graduandos do Curso de Letras; e promover o encontro entre egressos e pesquisadores de renome na área, contribuindo para a visibilidade de suas produções intelectuais mais recentes.

Como constatado no Formulário de Coleta de dados aplicado no final de 2019, os egressos que costumam responder são os egressos que ainda mantém alguma forma de vínculo com o Programa, seja porque participam de Grupos de Pesquisa nucleados no PPG-Letras, seja porque voltaram ao Programa como pós-doutorandos, seja porque concluíram o mestrado ou o doutorado mais recentemente (42,8% dos informantes, em 2019, titularam nos últimos 02 anos). Diante dessa evidência, entendemos que a formação progressiva de uma comunidade de Alumni, na medida em que logre aproximar do Programa os seus egressos, além de constituir uma missão importante do PPG-Letras, por oferecer uma continuidade da relação institucional para seus titulados, é uma iniciativa que pode contribuir também para a melhor execução da tarefa de identificação do perfil de atuação de nossos ex-alunos, razão pela qual essa iniciativa é elencada aqui, igualmente, como uma estratégia de acompanhamento de egressos.

2. Síntese dos campos de atuação profissional e inserção institucional dos egressos

A plataforma Sucupira registra 294 egressos em 2017, 319 em 2018 e 342 em 2019, o que corresponde às titulações entre 2012-2017, 2013-2018 e 2014-2019, respectivamente. Como 31 dos egressos do doutorado aparecem duas vezes entre 2012 e 2019, por terem concluído também o mestrado no Programa nesse período, o total de egressos do Programa no quadriênio até 2019 é de 388. Idealmente, é a integralidade desse universo que gostaríamos de ter como informantes da coleta de dados. Na prática, no entanto, precisamos trabalhar com uma amostra desse universo e garantir que ela seja minimante representativa.

Embora ofereça uma grande quantidade de informações sobre o conjunto de egressos identificados e seja um instrumento importante para a percepção de certas tendências e/ou pontos de inflexão, o novo Portal Institucional de Egressos, recentemente implementado (2019), ainda não é capaz de oferecer informações sobre a totalidade dos egressos. No período entre 2014-2019, por exemplo, as buscas no Portal de Egressos abrangem um universo de 50,5% dos egressos do doutorado e de 54,6% dos egressos do mestrado.

Já o Formulário de Coleta de Dados dos egressos, por sua vez, apresenta uma adesão variável a cada ano: em 2019, do universo de titulados entre 2014 e 2019, um conjunto de 61,5% de egressos respondeu ao formulário, como já mencionado.

Cabe observar, ainda, quanto aos dados, que a coleta via Formulário costuma concentrar seus dados em egressos dos últimos 02 anos, enquanto o Portal cobre o período de amostragem de modo mais bem distribuído.

Para a consolidação dos dados dos egressos do Programa, portanto, faz-se necessário o cruzamento das informações obtidas a partir do Portal e do Formulário, tanto para verificar a compatibilidade entre as duas bases de dados quanto para identificar eventuais discrepâncias que possam colocar em risco a validade dos indicadores. Como as duas bases de dados têm um alcance de pelo menos 50% do universo real dos egressos mais recentes, considerou-se que a amostragem realizada, se não permite detalhar o conjunto em sua integralidade, é por certo representativa do universo de egressos em questão ? embora seja importante envidar esforços para um aumento progressivo dessa amostragem. Assim, se por um lado não se pode garantir nem esperar que esses números sejam uma expressão precisa daquilo que dimensionam, entende-se, por outro lado, que eles podem perfeitamente servir de base para análises aproximativas, capazes de apontar tendências, contrastes, dimensões e proporções importantes para a percepção da contribuição real do Programa na formação de novos profissionais da área.

2.1. Procedimentos de análise dos dados de atuação profissional dos egressos

Para a organização dos campos de atuação profissional dos egressos, tomou-se por eixo o subsetor do IBGE identificado como ?ensino?. Para discriminar os campos de atuação da rubrica ensino, com base na classificação nacional de atividades econômicas (CNAE), foram criadas 02 rubricas: ?Educação superior?, que coincide com a designação homônima do grupo 85.3 da CNAE; e ?Educação básica?, que reúne, das atividades descritas na divisão 85 da CNAE (referentes à Educação), todas aquelas que não são de nível superior. Para abrigar outras formas de atuação profissional (não diretamente ligadas ao ensino) nas áreas de Letras e em áreas afins, foi criada a rubrica ?Outros Campos de Especialidade?, que abrange diferentes ramos de atividade descritas na CNAE.

A atuação nas ?áreas de Letras e áreas afins? corresponde, portanto, à atuação nas 03 rubricas descritas acima: Educação Superior, Educação Básica e Outros Campos de Especialidade. A parcela majoritária dos egressos do PPG-Letras atua no campo do ?ensino?, que, especialmente no caso da Educação Superior, pode englobar as atividades de ensino e de pesquisa. Em geral, as atuações nos chamados ?Outros Campos de Especialidade? não envolvem atividade de ensino, embora, em alguns casos, envolvam também pesquisa. A rubrica genérica ?Outras áreas? foi utilizada para designar aqueles campos de atuação, em geral da indústria e/ou do comércio, que têm pouca ou nenhuma aderência aos variados campos de especialidade das áreas de Letras.

2.2. Síntese dos dados de atuação profissional dos egressos

Com base nas rubricas descritas acima, e nos dados obtidos, identificamos o seguinte.

ATUAÇÃO NA ÁREA OU EM ÁREAS AFINS: em média 85,2% dos egressos (no Formulário: 84,7%% do doutorado e 86,4% do mestrado, incluídos os doutorandos) e em média 87,3% dos egressos (no Portal: 92,8% do doutorado e 84,8% do mestrado) continuam atuando na mesma área de formação ou em áreas afins (nesse caso as bases de dados apontam uma diferença de 2,1%, o que indica que seus valores médios são compatíveis).

ATUAÇÃO EM OUTRAS ÁREAS: em média 11,9% dos egressos (no Formulário: 9,1% do doutorado e 13,2% do mestrado, incluídos os doutorandos em outra área) e em média 12,7% dos egressos (no Portal: 7,2% do doutorado e 15,2% do mestrado) atuam em outras áreas (nesse caso as bases de dados apontam uma diferença de 0,8%, o que indica que seus valores médios são compatíveis).

SEM OCUPAÇÃO: em média 2,9% dos egressos (no Formulário: 4,5% do doutorado e 2,1% do mestrado) declaram não ter ocupação no momento (o Portal não oferece dados de egressos sem ocupação).

ATUAÇÃO NO ENSINO (ensino e ensino/pesquisa): em média 74,3% dos egressos (no Formulário: 75,8% do doutorado e 73,6% do mestrado, incluídos aqui os doutorandos) e em média 72,9% dos egressos (no Portal: 82,1% do doutorado e 68,8% do mestrado) atuam na área do ensino (nesse caso as bases de dados apontam uma diferença de 1,4%, o que indica que seus valores médios são compatíveis).

ATUAÇÃO APENAS EM OUTROS CAMPOS DE ESPECIALIDADE DA ÁREA: em média 10,5% dos egressos (no Formulário: 9,1% do doutorado e 11,1% do mestrado) e em média 14,4% dos egressos (no Portal: 10,7% do doutorado e 16% do mestrado) atuam exclusivamente em outros campos de especialidade das áreas de Letras e áreas afins (nesse caso as bases de dados apontam uma diferença de 3,9%, o que indica que seus valores médios ainda são compatíveis).

ATUAÇÃO CONCOMITANTE NO ENSINO E EM OUTROS CAMPOS DE ESPECIALIDADE DA ÁREA: em média 21% dos egressos (no Formulário: 39,4% do doutorado e 12,5% do mestrado) declaram atuar concomitantemente no ensino e em outros campos de especialidade (o Portal de Egressos não oferece indicadores dessa natureza).

ATUAÇÃO NA EDUCAÇÃO SUPERIOR (em alguns casos, concomitante com a Educação Básica): em média 30,5% dos egressos (no Formulário: 62,1% do doutorado e 16% do mestrado) e em média 33,7% dos egressos (no Portal: 64,3% do doutorado e 20% do mestrado) atuam na educação superior (nesse caso as bases de dados apontam uma diferença de 3,2%, o que indica que seus valores médios são compatíveis).

ATUAÇÃO NA EDUCAÇÃO BÁSICA (em alguns casos, concomitante com a Educação Superior): em média 26,7% dos egressos (no Formulário: 22,7% do doutorado e 28,5% do mestrado) e em média 39,2% dos egressos (no Portal: 17,8% do doutorado e 48,6% do mestrado) atuam na educação básica (nesse caso as bases de dados apontam uma diferença de 12,5% entre seus valores médios, o que indica um grau de compatibilidade limítrofe entre as bases, e que os valores do mestrado não se mostram representativos em termos numéricos).

2.3. Síntese dos dados de inserção institucional de egressos que atuam na área e/ou em áreas afins

EDUCAÇÃO BÁSICA:

– ESCOLAS PRIVADAS: 13,8% dos egressos atuam em escolas privadas, em geral colégios particulares ou escolas de idiomas. Destes: 13,8% atuam também na Educação Superior; 62,1% atuam em Curitiba e região metropolitana, 10,3%, no interior do Paraná e Santa Catarina, 10,3%, nos estados do Rio de Janeiro e de São Paulo e 17,4 %, em outros países (França e Alemanha);

– ESCOLA PÚBLICA MUNICIPAL, ESTADUAL OU FEDERAL: 12.9% dos egressos atuam em escolas públicas estaduais, municipais ou federais. Destes: 14,8% atuam também na Educação Superior; 48,1% atuam em Curitiba e região metropolitana, 25,9%, em cidades do interior e do litoral do Paraná e de Santa Catarina, 7,4%, em outros estados (Maranhão e Mato Grosso do Sul) e 18,5% em outros países (Holanda, França, Hungria, Alemanha e Vietnã);

EDUCAÇÃO SUPERIOR:

– INSTITUIÇÕES PRIVADAS DE ENSINO SUPERIOR: 4,3% dos egressos atuam em instituições de ensino superior privadas. Destes: 11,1% atuam também na Educação Básica; 88,9% atuam em Curitiba e região metropolitana e 11%, no interior do Paraná;

– INSTITUIÇÕES PÚBLICAS DE ENSINO SUPERIOR: 26,2% dos egressos atuam em instituições de ensino superior públicas. Destes: 9,4% atuam também na Educação Básica; 30,9% atuam em instituições em Curitiba e região metropolitana, 40%, em instituições do litoral e do interior dos estados do Paraná, de Santa Catarina e do Rio Grande do Sul, 9,1%, em outros estados (Alagoas, Ceará, Pernambuco, Pará, Minas e Rio de Janeiro) e 20% atuam no exterior (Equador, Paraguai, Portugal, Alemanha, Itália, Romênia, Quirguistão, Rússia e China).

OUTROS CAMPOS DE ESPECIALIDADE DA ÁREA: 10,5% dos egressos atuam exclusivamente em outros campos de especialidade (sem envolvimento com ensino), mas 21% atuam em campos de especialidade da área paralelamente ao exercício de atividades de ensino, o que indica que 31,5% (quase 1/3) dos egressos do Programa atuam (exclusiva ou concomitantemente) em diferentes áreas de especialidade das Letras. Um indicador importante é o de que a maioria absoluta desses egressos atua simultaneamente em mais de uma área de especialidade. Do universo de egressos do quadriênio: 14,8% atuam na área de revisão, 11,9%, na área de tradução, 11,9%, na área de desenvolvimento de material didático, 11,4%, na área de produção de conteúdo, 4,8%, na área de assessoria linguística, 4,8%, na área de edição e editoração e 01 egressa atua na área de linguística computacional (PLN).

3. Síntese da contribuição do PPG-Letras para a formação de novos profissionais das áreas de Letras e áreas afins

Do ponto de vista dos campos de atuação dos egressos, podemos afirmar o seguinte.

ATUAÇÃO NA ÁREA OU EM ÁREAS AFINS: os indicadores apontam: a) que mais de 85% dos egressos do mestrado e do doutorado em Letras da UFPR continuam atuando na mesma área, o que dimensiona o grau de sucesso com que o Programa cumpre sua missão de formação; e b) que essa alta proporção de atuação na mesma área é bastante semelhante entre egressos do mestrado e do doutorado, indicando que ex-doutorandos continuam atuando nas áreas de Letras na mesma proporção em que ex-mestrandos dão continuidade a sua formação e/ou a sua atuação na área.

ATUAÇÃO EM OUTRAS ÁREAS: os indicadores apontam que apenas cerca de 12% dos egressos acabam migrando para outras áreas, o que está dentro da expectativa de normalidade de um desvio entre formação e área de atuação, que o PPG-Letras estima, historicamente, entre 10 e 15%.

SEM OCUPAÇÃO: os indicadores apontam que, mesmo em tempos de restrição de vagas em instituições públicas de ensino e de economia desacelerada, a taxa de egressos sem ocupação no momento é menor do que 3%, o que é menor que a taxa média de desemprego em 2019, de 11, 9% segundo indicador da Pnad-C (IBGE).

ATUAÇÃO NO ENSINO (ensino e ensino/pesquisa): os indicadores apontam que quase 75% dos egressos do PPG-Letras atuam em algum ramo de atividade de ensino, o que é forte indicador da vocação do Programa para a formação de profissionais formadores, em todos os níveis.

ATUAÇÃO APENAS EM OUTROS CAMPOS DE ESPECIALIDADE DA ÁREA: os indicadores apontam que cerca de 12% dos egressos de mestrado e de doutorado, com pouca diferença entre egressos dos dois níveis, atuam exclusivamente em outros campos de especialidade da área, sem vínculo com a atividade de ensino.

ATUAÇÃO CONCOMITANTE NO ENSINO E EM OUTROS CAMPOS DE ESPECIALIDADE DA ÁREA: os indicadores apontam que uma parcela representativa dos egressos (21%, mas, entre eles, mais de 1/3 dos egressos do doutorado) conjuga a atividade de ensino e/ou ensino-pesquisa com outras atividades especializadas das áreas de Letras e afins, o que confirma o sucesso do Programa na formação de profissionais habilitados para atuar em vários campos de especialidade da área.

ATUAÇÃO NA EDUCAÇÃO SUPERIOR: os indicadores apontam: a) uma atuação maior dos egressos de doutorado na Educação Superior, como é de se esperar; e b) uma atuação de cerca de 63% dos egressos do doutorado na Educação Superior.

ATUAÇÃO NA EDUCAÇÃO BÁSICA: embora os valores médios das duas bases tenham um grau de compatibilidade limítrofe e os valores do mestrado não se mostrem representativos em termos numéricos, esses indicadores ainda são capazes de apontar: a) uma atuação maior dos egressos do mestrado na Educação Básica; e b) uma atuação de cerca de 20% dos egressos do doutorado na Educação Básica.

Do ponto de vista da inserção institucional dos egressos, podemos afirmar o seguinte.

EDUCAÇÃO BÁSICA: Dos 26,7% de egressos que atuam nos diversos ramos da Educação Básica, há uma distribuição equilibrada entre os que atuam em escolas privadas (mais concentradas em Curitiba e região) e escolas públicas (mais bem distribuídas entre Curitiba e o interior e litoral do Paraná e de Santa Catarina). Nos dois casos há também egressos que atuam nas regiões Sudeste, Centro-Oeste e Nordeste, bem como em 05 outros países (Holanda, França, Hungria, Alemanha e Vietnã).

EDUCAÇÃO SUPERIOR: Dos 30,5% de egressos que atuam nos diversos ramos da Educação Superior (excluídos aqui os egressos do mestrado que cursam atualmente o doutorado), há um amplo predomínio da inserção dos egressos em instituições públicas (mais concentradas no litoral e interior do Paraná, de Santa Catarina e do Rio Grande do Sul) em relação às instituições privadas (mais concentradas em Curitiba e região). Entre os que atuam em instituições públicas, há também egressos nas regiões Sudeste, Norte e Nordeste, assim como em 09 países diferentes (Equador, Paraguai, Portugal, Alemanha, Itália, Romênia, Quirguistão, Rússia e China).

OUTROS CAMPOS DE ESPECIALIDADE DA ÁREA: quase 1/3 dos egressos do Programa (31,5%) atuam (exclusiva ou concomitantemente) em diferentes campos de especialidade das Letras, por vezes, em campos bastante novos e inovadores, indicando a versatilidade e a importância da formação oferecida pelo PPG-Letras também para a inserção nesses campos profissionais. Para além do ensino e da pesquisa nas áreas de Letras, os 04 campos de atuação que mais se destacam são tradução e edição, revisão e assessoria linguística, produção de conteúdo e desenvolvimento de material didático, o que está em perfeita consonância com os objetivos específicos das duas áreas de concentração, com as especialidades das linhas de pesquisa e formação e com o perfil geral do egresso do Programa.

Histórico e Justificativa

O Programa de Pós-Graduação em Letras da Universidade Federal do Paraná, desde a avaliação quadrienal de 2013-2016, é um Programa nota 6. Além de poder contar com um corpo docente experiente (96% dos docentes permanentes são orientadores de mestrado e doutorado, dos quais 71% com mais de uma década de atividade contínua na pós-graduação), de pesquisadores qualificados (38% dos docentes permanentes são bolsistas de agências de fomento: 16 do CNPq ? 05 deles PQ1 ? e 02 da Fundação Araucária) e em constante atualização (91,7% dos docentes permanentes realizaram pelo menos um estágio pós-doutoral), o Programa também se distingue pela amplitude, inserção e diversidade de suas ações. Entre estas, destacam-se: a consolidação do alto nível de internacionalização alcançado ao longo da última década (03 mestrados bilaterais, 04 programas de cotutela de doutorado e vários projetos de cooperação internacional) e a ampliação do leque de ações de inserção e solidariedade no contexto regional e nacional, a exemplo do DINTER 2014-2019 (com a UTFPR de Campo Mourão-PR), do projeto LETRAS EM TRÂNSITO (com a UNICENTRO de Guarapuava-PR, a UFFS de Chapecó-SC, a UTFPR de Curitiba, a UNILA de Foz do Iguaçu-PR e a UEPG de Ponta Grossa-PR) e do programa EMI ? English as a Medium of Instruction (capacitação para a docência em língua inglesa, em modalidade híbrida, ofertada para outros PPGs da UFPR e para as 07 universidades estaduais do Paraná). Merece destaque, igualmente, a crescente capilarização das ações de inserção social em nível local e regional: sob a forma de programas de ensino para educação básica e de formação continuada de professores da rede pública, como o PIBID-CAPES, o Núcleo de Assessoria Pedagógica (NAP) e o Programa de Segunda Licenciatura em Letras Alemão (PARFOR-CAPES); sob a forma de projetos de pesquisa e inclusão social, como o PIBIS (envolvendo alunos surdos da graduação na pesquisa em Libras); e sob a forma de programas de pesquisa e extensão, como o CAPA ? Centro de Assessoria de Publicação Acadêmica (núcleo de pesquisa e apoio à produção, revisão e tradução de textos acadêmicos em língua inglesa, ligado ao programa EMI), o TEL (plataforma de cursos livres para a comunidade acadêmica e não acadêmica) e o PBMIH ? Português Brasileiro para Migração Humanitária (ensino de Português Brasileiro para migrantes refugiados ? sírios, haitianos e venezuelanos ? moradores de Curitiba e região metropolitana), projeto inscrito no âmbito da Cátedra Sérgio Vieira de Mello (UFPR). Destaque-se ainda que, com apoio da Agência da ONU para refugiados (ACNUR), o projeto do PBMIH criou, em 2019, a Revista Ressonâncias: coordenada por discentes e egressos do Programa, a Revista tem o objetivo de disponibilizar e ampliar o acesso a materiais de apoio didático de Português como Língua Adicional e Português como Língua de Acolhimento a comunidades de migrantes estrangeiros em situação de refúgio, acolhida humanitária e em vulnerabilidade social.

Em seus 45 anos de existência, o Programa tem contribuído de forma significativa com a pós-Graduação stricto sensu brasileira, tendo atingido nível de excelência na pesquisa, de que resulta sua ampla e qualificada produção bibliográfica (como demonstram os indicadores do Programa), assim como também na formação de mestrandos e doutorandos (1000 titulações no início de 2020). Além de formar pesquisadores de destaque há mais de quatro décadas, que atuam na educação básica, na graduação e na pós-graduação de inúmeras instituições públicas e privadas em todas as regiões do Brasil e no exterior, a qualidade dos trabalhos de conclusão também vem sendo reconhecida por meio de premiações e distinções de mérito recebidas tanto no Brasil, a exemplo dos prêmios CAPES de Tese e ANPOLL de Dissertação (2016) e do prêmio ABRALIC de Tese (Menção honrosa, 2019), quanto no exterior, a exemplo do prêmio da Fundación Maria Paula Alonso de Ruiz Martinez (Espanha, 2019), por dissertação defendida em 2018, e do Prémio Científico Mário Quartin Graça (Portugal, 2019), por tese defendida em 2018. Também os prêmios recebidos por docentes do Programa nos últimos anos são indicadores importantes da qualidade da produção intelectual do PPG-Letras. Além de várias indicações como finalistas dos prêmios mais destacados do Brasil, os docentes do Programa receberam 12 prêmios de projeção nacional entre 2013 e 2019: 03 Prêmios da Biblioteca Nacional (tradução e romance), 03 Prêmios Jabuti (tradução e projeto gráfico), 04 Prêmios da Associação Paulista de Críticos de Arte – APCA (tradução), 01 Prêmio da Academia Brasileira de Letras (tradução) e 01 Prêmio Paraná de Literatura (contos).

Estes e outros indicadores, detalhados a seguir, sintetizam movimentos decisivos dos 45 anos de história do PPG-Letras da UFPR (1975-2020), que lograram construir uma condição de maturidade do Programa e inscrevê-lo num lugar de excelência da área de Letras e Linguística, representado especialmente pelo estatuto de referência nacional e internacional da pesquisa e formação em várias de suas áreas de inserção, entre as quais destacamos: na área dos Estudos linguísticos, a Linguística Formal, a Análise do Discurso (em diferentes perspectivas teóricas), a Pragmática, a Sociolinguística, a História da Linguística, a Linguística Aplicada ao Ensino de LE, o Português como Língua Estrangeira e o Alemão como Língua Estrangeira; e na área dos Estudos Literários, a Literatura Brasileira, a Literatura Portuguesa, a Literatura Latino e Ibero-americana, os Estudos Clássicos, os Estudos do Romance, os Estudos de Intermidialidade, a Tradução Literária, a Teoria da Tradução e a Teoria da Literatura.

Disponibilizado via SIGA UFPR

Universidade Federal do Paraná
Programa de Pós-Graduação em Letras
Rua General Carneiro, 460, 10º andar
Centro - CURITIBA
Telefone:(41) 3360-5102
E-mail: ppgglet@gmail.com

Universidade Federal do Paraná
Programa de Pós-Graduação em Letras
Rua General Carneiro, 460, 10º andar
Centro - CURITIBA
Telefone:(41) 3360-5102
E-mail: ppgglet@gmail.com

Imagem logomarca da UFPR

©2020 - Universidade Federal do Paraná - Programa de Pós-Graduação em Letras

Desenvolvido em Software Livre e hospedado pela Pró-Reitoria de Pesquisa e Pós-Graduação