Menu

Proposta Curricular

Estrutura Curricular

1. Áreas de concentração e Linhas de pesquisa

A Reforma Curricular 2010-2012 criou uma estrutura mais enxuta de organização do Programa, que corresponde também a sua estrutura atual, com 02 áreas de concentração (Estudos Linguísticos e Estudos Literários) e 07 linhas de pesquisa: 04 na área de Estudos Linguísticos e 03 na área de Estudos Literários, representativas das principais linhas de força da pesquisa e da formação no PPG-Letras. Como as linhas na área de Estudos Linguísticos aproximam-se de um recorte dos campos disciplinares da área, a maioria dos docentes está vinculada apenas a uma linha. Como as linhas de pesquisa na área dos Estudos Literários fazem um recorte mais transversal dos campos disciplinares da área, cerca de 30% dos docentes estão vinculados a duas linhas de pesquisa.

As áreas de concentração e suas respectivas linhas de pesquisa do Programa são as seguintes:

Área de Concentração em Estudos Linguísticos

LINHA 1: Estudos gramaticais: descrição, análise, teoria, metateoria e historiografia

Reflexão crítica sobre movimentos da história e da filosofia da linguística. Estudos sobre fenômenos gramaticais das línguas naturais, nos níveis fonético-fonológico, morfológico, sintático e semântico, tanto do ponto de vista da modelagem formal, como do ponto de vista da realidade psicológica (processamento e aquisição).

LINHA 2: Linguagem e práticas sociais

Estudos teóricos e empíricos sobre os usos da linguagem na interação social e nas situações de bilinguismo e de contatos entre línguas ou entre variedades da mesma língua. Estudos que buscam o entendimento do uso real da linguagem a partir de várias perspectivas e teorias do texto, do discurso, da pragmática e da variação e mudança e de sua interface com outras áreas da linguística e das ciências humanas.

LINHA 3: Linguagens, culturas e identidades: ensino e aprendizagem

Estudos voltados a processos de formação/educação inicial e continuada de professores de línguas e literaturas. Formação de professores formadores. Questões de aquisição, aprendizagem e ensino de LE.

LINHA 4: Alemão como língua estrangeira

Estudos de aspectos relacionados à presença e à difusão do idioma, cultura e literatura dos países de língua alemã no Brasil, relacionados ao ensino e aprendizagem, tradução, interculturalidade, mediação cultural e reflexão linguística e literária sob abordagens contrastivas.

Área de Concentração em Estudos Literários

LINHA 1: Literatura, história e crítica

Estudo das figurações dos discursos de caráter historiográfico no discurso literário. Estudo de questões da historiografia e da crítica literárias. Estudo de conceitos de cânone e das dinâmicas de relação entre diferentes tradições e/ou sistemas literários.

LINHA 2: Literatura e outras linguagens

Estudo das relações entre literatura e outras linguagens, seja no plano estético, seja no das manifestações culturais e dos sistemas culturais nos quais elas se configuram.

LINHA 3: Alteridade, mobilidade e tradução

Estudo das figurações da mobilidade e das construções de alteridade na literatura e na tradução literária, com foco nas questões de identidade e diferença. Estudo da literatura e da tradução literária como práticas de mobilidade e de construção da alteridade, com foco nas dimensões estética, social e cultural das questões de reescritura, adaptação, edição, leitura e recepção.

2. Elenco de disciplinas: articulação dos componentes curriculares

Como resultado final do Ajuste Curricular 2017-2019, implantado em 2020, o elenco atual de disciplinas do Programa é composto por 42 disciplinas, 21 em cada área de concentração (para o detalhamento de cada disciplina, vide http://www.prppg.ufpr.br/site/ppgletras/pb/disciplinas/). Nenhuma disciplina tem caráter obrigatório. A oferta semestral das disciplinas é organizada de modo a manter um equilíbrio entre as disciplinas dos diferentes núcleos curriculares, estruturados como apresentamos a seguir.

Área de Concentração em Estudos Linguísticos

O conjunto de 21 disciplinas da área articula-se em 4 núcleos curriculares: núcleo de fundamentos (disciplinas de formação básica na área dos Estudos Linguísticos), núcleo específico (disciplinas ligadas à especificidade de cada uma das 04 linhas de pesquisa), núcleo avançado (disciplinas de aprofundamento de um determinado tópico de pesquisa na área de concentração) e núcleo especial (disciplinas funcionais, reguladoras de atividades interinstitucionais, como cursos livres de professores visitantes, equivalências etc.).

NÚCLEO DE FUNDAMENTOS (05 disciplinas):

– Fundamentos de Fonética e Fonologia

– Fundamentos de Semântica

– Fundamentos de Sintaxe

– Pesquisa no Ensino/Aprendizagem de Línguas

– Prática de Docência em Estudos Linguísticos

NÚCLEO ESPECÍFICO (11 disciplinas)

LINHA 1: Estudos Gramaticais: descrição, análise, teoria, metateoria e historiografia

– Teoria e Análise Gramatical

– Modelos de Análise Linguística

– Interfaces da Linguística

LINHA 2: Linguagens e Práticas Sociais

– Linguagem, Contexto e Sentido

– Linguagem, Contexto e Uso

LINHA 3: Linguagens, Culturas e Identidades: Ensino e Aprendizagem

– Formação de Professores nas Letras Estrangeiras

– Agência, Identidade e Discurso

– O Estatuto Social das Línguas

– Letramentos e Ensino/Aprendizagem de Línguas

LINHA 4: Alemão como Língua Estrangeira

– Interculturalidade no ensino de LE

– Tradução no Ensino de LE

NÚCLEO AVANÇADO (2 disciplinas)

– Tópicos Avançados em Linguística

– Tópicos Avançados em Linguística Aplicada

NÚCLEO ESPECIAL (3 disciplinas)

– Seminários em Estudos Linguísticos I (15h)

– Seminários em Estudos Linguísticos II (30h)

– Tópicos Especiais em Estudos Linguísticos

Área de Concentração em Estudos Literários

O conjunto de 21 disciplinas da área articula-se em 4 núcleos curriculares: núcleo comum (disciplinas de formação básica e de construção de repertório na área dos Estudos Literários), núcleo específico (disciplinas ligadas à especificidade de cada uma das 03 linhas de pesquisa), núcleo avançado (disciplinas de aprofundamento de um determinado tópico de pesquisa na área de concentração) e núcleo especial (disciplinas funcionais, reguladoras de atividades interinstitucionais, como cursos livres de professores visitantes, equivalências etc.).

NÚCLEO COMUM (07 disciplinas):

– Teoria da Ficção

– Teoria da Poesia

– Teoria do Teatro

– Ficção

– Poesia

– Dramaturgia

– Prática de Docência em Estudos Literários

NÚCLEO ESPECÍFICO (8 disciplinas)

LINHA 1: Literatura, História e Crítica

– Literatura e História

– Crítica e Historiografia Literária

LINHA 2: Literatura e Outras Linguagens

– Literatura e Imagem

– Literatura e Intermidialidade

LINHA 3: Alteridade, Mobilidade e Tradução

– Literatura e Alteridade

– Literatura e Mobilidade

– Crítica e Tradução Literária

– Teoria da Literatura e da Tradução

NÚCLEO AVANÇADO (03 disciplinas)

– Literatura e Modernidade

– Tópicos Avançados em Literatura

– Tópicos Avançados em Teoria Literária

NÚCLEO ESPECIAL (3 disciplinas)

– Seminários em Estudos Literários I (15h)

– Seminários em Estudos Literários II (30h)

– Tópicos Especiais em Estudos Literários

Cabe destacar, ainda, a inclusão da disciplina de Prática de Docência no núcleo curricular comum (na área de Estudos Literários) e no núcleo de fundamentos (na área de Estudos Linguísticos). Com esse movimento, cria-se, entre as disciplinas de base de cada área, um espaço de formação voltado exclusivamente para o ensino em nível superior. A disciplina é obrigatória somente para os doutorandos bolsistas, mas um número cada vez maior de doutorandos e mestrandos vem cursando a disciplina, sempre sob a tutela de seus orientadores.

3. Oferta de disciplinas

3.1. Distribuição da oferta de disciplinas por áreas e núcleos curriculares

Aos alunos de mestrado recomenda-se a conclusão dos créditos no primeiro ano de curso; os doutorandos podem fazê-lo nos dois primeiros anos. As disciplinas são todas de caráter optativo, cabendo ao aluno, em interlocução direta com seu orientador, a escolha das disciplinas adequadas ao seu percurso formativo, considerando-se, caso a caso, a carga-horária necessária de disciplinas de cada núcleo curricular (comum/fundamentos, específicas, avançadas e especiais).

Entre 2017 e 2020, o Programa ofereceu em média 19,5 turmas por semestre, contemplando disciplinas de todos os núcleos curriculares (e, portanto, de todas as linhas de pesquisa) e apresentando uma distribuição equilibrada da oferta entre as duas áreas de concentração, com média de 9,5 turmas de Estudos Linguísticos e de 10 de Estudos Literários.

Diante desse quadro, e com a finalização do ajuste curricular em 2019, o PPG-Letras passa a cumprir perfeitamente a meta de oferta de todas as 42 disciplinas do elenco ao longo do quadriênio.

3.2. Regime de oferta de disciplinas em línguas estrangeiras

Em razão de suas ações de internacionalização, sobretudo na forma dos acordos que abrigam os mestrados bilaterais, dos programas de cotutela e dos projetos de cooperação internacional, a oferta de disciplinas em línguas estrangeiras (alemão, inglês e espanhol), ministradas por docentes do Programa, por docentes convidados/visitantes ou por  docentes do Programa em parceria com docentes convidados/visitantes, tem sido uma constante no PPG-Letras desde pelo menos 2009, apresentando um aumento notável de sua regularidade e amplitude desde 2017.

Entre 2017 e 2019, o Programa ofertou um total de 15 turmas em línguas estrangeiras (uma média de 5 turmas por ano), distribuídas do seguinte modo:

– 09 em língua alemã;

– 04 em língua inglesa;

– 02 em língua espanhola.

Adicionalmente, com a formalização do credenciamento (como docente permanente da linha 1 da área de Estudos Linguísticos) de um pesquisador especializado na área de Libras e com o consequente ingresso, já no processo seletivo 2019-2020, de mestrandos com projeto de pesquisa nessa área ? demanda gerada, nesse primeiro momento, especialmente pelo curso de Graduação em Libras da própria UFPR ?, o Programa passa a ofertar também a partir de 2020, sob demanda, disciplinas em Língua Brasileira de Sinais.

Em síntese, o Programa ofereceu entre 2017 e 2019 uma média anual de 05 disciplinas em 03 línguas estrangeiras diferentes (alemão, inglês e espanhol) e, a partir de 2020, passará a ofertar também, sob demanda, disciplinas em LIBRAS. Trata-se, portanto, de uma oferta regular em línguas estrangeiras, que atende a demandas estratégicas e específicas de áreas e linhas de pesquisa e formação do PPG-Letras. Na soma de seus esforços, o Programa responde consistentemente às exigências que se impõem a um Programa de excelência quanto à oferta de disciplinas em línguas estrangeiras.

4. Créditos e aproveitamento em disciplinas

Nas disciplinas, o aproveitamento é avaliado por meio de provas e trabalhos (a critério do professor). Para efeito de avaliação do desempenho acadêmico, são atribuídos os seguintes conceitos:

A = Excelente = 9,0 a 10,0

B = Bom = 8,0 a 8,9

C = Regular = 7,0 a 7,9

D = Insuficiente

Dois conceitos D no histórico escolar implicam o cancelamento automático da matrícula do aluno e, portanto, seu desligamento do Programa. Duas notas C tornam o aluno inelegível no processo de solicitação de bolsa de estudos, renovada anualmente a partir de critérios que levam em conta suas atividades acadêmicas, entre as quais se inclui também seu aproveitamento nas disciplinas. A frequência mínima exigida é de 75%, e o aluno não poderá ser reprovado por faltas em mais de duas disciplinas.

Aos alunos da graduação, é facultada a frequência das disciplinas do PPG-Letras, o que caracteriza uma forma de integração entre a graduação e a pós-graduação. Uma vez atingida a frequência mínima exigida, essa atividade pode ser validada como crédito de horas formativas na graduação. Havendo disponibilidade de vagas, as turmas acolhem também alunos especiais, um expediente que vem se mostrando bastante produtivo como estágio intermediário para o ingresso no Programa, especialmente para candidatos que vêm de outras áreas.

5. Exigências para obtenção do grau de Mestre em Letras

Para obter o diploma de Mestre em Letras, os alunos do curso devem cumprir as seguintes exigências:

– O currículo deverá totalizar um mínimo de 60 créditos, assim divididos: mínimo de 24 créditos em disciplinas (cada crédito equivale a 15h/aula) e um total de 36 créditos pela redação e defesa da dissertação de Mestrado;

– Aprovação em Exame de Qualificação (realizado até o 18º. mês de curso);

– Aprovação da dissertação de mestrado em defesa pública, com banca constituída por 03 membros: orientador (presidente da banca), 01 docente do Programa e 01 docente externo (com participação presencial).

6. Exigências para obtenção do grau de Doutor em Letras

Para obter o diploma de Doutor em Letras, os alunos do curso devem cumprir as seguintes exigências:

– O currículo deverá totalizar um mínimo de 80 créditos, assim divididos: mínimo de 48 créditos em disciplinas (podendo o doutorando solicitar o aproveitamento de até 30 créditos das disciplinas cursadas no Mestrado) e um total de 32 créditos pela redação e defesa da tese de Doutorado;

– Aprovação em Exame de Qualificação (realizado entre o 24º. e o 36º. mês de curso);

– Aprovação da tese de doutorado em defesa pública, com banca constituída por 05 membros: orientador (presidente da banca), 01 docente do Programa e 03 docentes externos (com participação presencial de pelo menos 01 dos membros externos);

– Para alunos bolsistas, há ainda a obrigatoriedade adicional de cumprir créditos na disciplina de Prática de Docência ? para os demais alunos, esta mantém-se de caráter optativo, assim como todas as demais disciplinas do elenco;

7. Instâncias de gestão acadêmica: Colegiado do Programa (COPOL), Comissão Gestora e Comissão de Autoavaliação

O COLEGIADO do Programa (COPOL), cujas atribuições estão definidas no Regimento do PPG-Letras, é a instância máxima de deliberação para assuntos de natureza acadêmica. Desde a Reforma Curricular de 2010-2012, o COPOL, integrado por 11 membros, é constituído do seguinte modo:

a) coordenador do Programa, seu presidente;

b) vice-coordenador;

c) 01 representante docente de cada uma das 07 linhas de pesquisa, escolhido pelo conjunto de professores integrantes da linha;

d) 01 representante discente de cada uma das 02 áreas de concentração.

A COMISSÃO GESTORA, instaurada em 2018 conforme as normativas do PROEX, é a instância máxima de deliberação para assuntos de natureza financeira, sendo responsável pela determinação da política de distribuição de recursos, pela gestão do orçamento anual do Programa e pelo processo de seleção e atribuição de bolsas. A Comissão Gestora, integrada por 06 membros, é constituída do seguinte modo:

a) coordenador do Programa, seu presidente;

b) vice-coordenador;

c) 01 representante docente da área de Estudos Linguísticos;

d) 01 representante docente da área de Estudos Literários;

e) 01 representante discente da área de Estudos Linguísticos;

f) 01 representante discente da área de Estudos Literários;

A COMISSÃO DE AUTOAVALIAÇÃO, formalizada em 2019 em conformidade com as diretrizes da CAPES, é a instância de acompanhamento e avaliação de todas as atividades do PPG-Letras. Cabem-lhe, como tarefas: o constante diagnóstico da situação do Programa em face de seu histórico e de suas metas, o apoio ao enfrentamento de eventuais situações críticas, a discussão da readequação de procedimentos internos diante de novos critérios vigentes no sistema nacional de pós-graduação e a proposição de políticas capazes de fazer com que o conjunto de ações do PPG-Letras continue contribuindo para a realização efetiva de seus objetivos. A Comissão de Autoavaliação, integrada por 13 membros, é constituída do seguinte modo:

a) coordenador do Programa, seu presidente;

b) vice-coordenador;

c) 03 representantes docentes da área de Estudos Linguísticos;

d) 03 representantes docentes da área de Estudos Literários;

e) 02 representantes discentes da área de Estudos Linguísticos;

f) 02 representantes discentes da área de Estudos Literários;

g) 01 representante técnico-administrativo.

Experiências Inovadoras de Formação

Entre as diversas ações do Programa que podem ser caracterizadas como inovadoras, 04 merecem aqui destaque. A primeira é uma grande interface extensionista (TEL), que além de dar visibilidade à pesquisa desenvolvida no PPG-Letras e representar uma forma impactante de inserção local, constitui-se também como um espaço de experiência e reflexão discente sobre a prática de docência. A segunda e a terceira estão relacionadas à atividade editorial: a Revista Versalete, na condição inovadora de uma revista escola, tem a própria atividade editorial como objeto, construindo-se como um espaço alternativo de formação nessa área de especialidade; a Revista Ressonâncias, por sua vez, vale-se da atividade editorial como um meio, fazendo do espaço de preparação da revista, ao mesmo tempo, um lugar de elaboração da experiência de ensino no contexto específico definido pelo projeto do PBMIH e um instrumento de disseminação dessas reflexões e do material de apoio didático produzido nesse contexto. A quarta, ao envolver docentes e discentes do PPG-Letras em torno de uma de suas áreas de especialidade, a de inglês como meio de instrução (EMI), propõe-se como um programa de instrução de escrita em língua inglesa, que, ofertado na forma de uma disciplina transversal, nas modalidades presencial e remota, além de atender discentes e docentes de todos os PPGs da UFPR e, desde 2019, também das 07 universidades estaduais do Paraná, constitui-se, igualmente, como um espaço de formação discente nessa área específica.

1. Cursos Livres do PPG-Letras 2017-2020 (antigo TEL)

Os Cursos Livres do PPG-Letras (antigos Tópicos Especiais de Leitura – TEL), organizados pela representação discente em parceria com a coordenação do PPG-Letras, são cursos livres e gratuitos, ministrados pelos discentes do Programa e concebidos, por eles próprios, para que configurem uma dimensão extensionista da pesquisa desenvolvida no âmbito de seus projetos de mestrado e doutorado.

Criados no triênio 2010-2012, então como modo de organização das atividades de contrapartida das chamadas bolsas REUNI, os Cursos Livres foram ganhando aos poucos o formato atual, de cursos destinados à comunidade acadêmica e não acadêmica, independentemente de vínculo com instituições de ensino superior. Os cursos têm duração de 20 a 30 horas, distribuídas ao longo de um semestre, com certificação de frequência e participação. Para os discentes, a atividade caracteriza-se, ainda, como uma prática de docência completa, que envolve desde a concepção de um curso livre, passando por sua realização até a avaliação final dos resultados.

Entre 2017 e 2019 foram ofertados 62 cursos livres, integralizando 1440 horas de extensão: uma média de 21 cursos livres e 480 horas de atividades de extensão por ano, que alcançaram, nesse período, um total de 464 participantes.

Com base nos relatórios dos discentes responsáveis pelos cursos neste quadriênio, a maioria dos participantes é de graduandos e pós-graduandos da própria UFPR, tanto da área de Letras quanto de áreas como História, Ciências Sociais, Filosofia etc. Os cursos também contam com a participação regular de alunos de outras instituições locais (PUC-PR, UTFPR e FAP), bem como de pessoas sem vínculo com instituições de ensino superior.

Pela diversidade, abrangência e alcance dos cursos ofertados, trata-se da interface extensionista mais expressiva do Programa, que contribui tanto para a integração entre a graduação e a pós-graduação quanto para a visibilidade local e regional do PPG-Letras.

NO ANO DE 2017, foram ofertados 19 cursos, sendo 06 da área de Estudos Linguísticos e 13 da área de Estudos Literários, integralizando 413 horas de extensão, com um total de 137 participantes.

NO ANO DE 2018, foram ofertados 15 cursos, sendo 03 da área de Estudos Linguísticos e 12 da área de Estudos Literários, integralizando 340 horas de extensão, com 127 participantes.

NO ANO DE 2019, foram ofertados 28 cursos, sendo 10 da área de Estudos Linguísticos e 18 da área de Estudos Literários, integralizando 687 horas de extensão, com um total de 200 participantes.

2. Revista Escola: Revista VERSALETE

Criada no final de 2012, com sua primeira chamada já no início de 2013, a Revista Versalete (www.revistaversalete.ufpr.br) é uma iniciativa exemplar de formação de novos quadros, que se propõe como um inovador projeto de Revista Escola.

A ideia nasceu da necessidade de se criar um espaço alternativo de formação, capaz tanto de integrar graduandos e pós-graduandos nos processos de troca intelectual que uma revista pode proporcionar quanto de prepará-los para o exercício de atividades editoriais que fazem parte da vida acadêmica universitária, como a prática de emissão de pareceres, a revisão e a preparação de textos e a introdução às várias questões ligadas ao gerenciamento de uma revista acadêmica. Cabe destacar que uma parcela significativa dos egressos do Programa (muitos dos quais com participação extensiva no projeto da Revista) atuam, atualmente, na área de revisão, edição e editoração.

Para atingir tal objetivo, a revista recebe textos de alunos de graduação e pós-graduação (abrindo, portanto, um espaço que ainda tem opções limitadas no cenário das revistas acadêmicas brasileiras da área de Letras e Linguística), mas envolve discentes também no processo de avaliação das submissões. Nesse sentido, a Versalete abre um novo espaço tanto para a submissão de trabalhos de graduandos e pós-graduandos da área quanto para a formação, especialmente, de pareceristas. Respeitando os mesmos procedimentos de seleção e publicação de revistas acadêmicas da área, os textos dependem do aceite de dois pareceristas para serem publicados. Esse processo, no entanto, é realizado na Versalete através da leitura de alunos da pós-graduação, de acordo com o seguinte princípio: textos de alunos de graduação são lidos por mestrandos; textos de alunos de mestrado são lidos por doutorandos; textos de doutorandos são lidos por doutores (ex-alunos da pós-graduação e professores). Além disso, a revisão dos textos também é feita por alunos da graduação em Letras, reunidos em torno da revista através do programa de Voluntariado Acadêmico da UFPR (http://www.prograd.ufpr.br/portal/copeg/pva-programa-voluntariado-academico/).

Todos os discentes envolvidos fazem parte do projeto da revista, que reúne alunos do PPG-Letras, bem como de outras universidades, brasileiras e estrangeiras. Além disso, a revista conta também com a participação de vários egressos (mestres e doutores). Esse envolvimento se justifica especialmente por sua inserção nos principais campos da pesquisa e formação dos cursos de Graduação em Letras e do Programa de Pós-Graduação em Letras da UFPR: Linguística, Linguística Aplicada, Literatura e Tradução. A revista recebe textos também em alemão, inglês, francês, espanhol, polonês, japonês e italiano.

A Versalete, periodizada como uma revista semestral, publicou 13 edições até o final de 2019. A primeira edição, de número Zero (junho de 2013), foi uma experiência inaugural e publicou textos produzidos exclusivamente na UFPR. A partir da segunda edição (a de número 1), textos de outras universidades passaram a ser aceitos e, desde então, a submissão e publicação de textos de outras universidades é uma constante, fazendo da Versalete, cada vez mais, uma Revista que atende aos requisitos de qualquer bom periódico da área de Letras e Linguística. No final do ano de 2015, a revista recebeu a legitimação da CAPES e uma classificação B5 no Qualis de Periódicos. Em 2016, a revista recebeu a classificação B4 e, no Qualis ?provisório? publicado em 2019, a classificação B1. No final de 2019, iniciou-se o processo de migração da Revista para o SEER e de seu cadastramento na Biblioteca Digital de Periódicos da UFPR, bem como sua vinculação ao Creative Commons.

A Revista Versalete tem 02 editoras chefes: 01 docente permanente e 01 doutoranda do PPG-Letras (também docente da UFPR). O Corpo de Pareceristas envolve egressos e alunos, de graduação e pós-graduação, contando, atualmente, com 08 graduandos, 30 mestres e mestrandos e 70 doutores e doutorandos, tanto da UFPR quanto de outras universidades. Atualmente, são 26 as instituições envolvidas: CEFET-MG (Centro Federal de Educação Tecnológica de Minas Gerais); Faculdades Integradas Santa Cruz de Curitiba; IFBA (Instituto Federal da Bahia); IFSC (Instituto Federal de Santa Catarina); PUC-PR (Pontifícia Universidade Católica do Paraná); PUC-RJ (Pontifícia Universidade Católica do Rio de Janeiro); UCS (Universidade de Caxias do Sul); UEPG (Universidade Estadual de Ponta Grossa); UFMG (Universidade Federal de Minas Gerais); UFPE (Universidade Federal de Pernambuco); UFPR (Universidade Federal do Paraná); UFRGS (Universidade Federal do Rio Grande do Sul); UFRJ (Universidade Federal do Rio de Janeiro); UFSCAR (Universidade Federal de São Carlos); UFSM (Universidade Federal de Santa Maria); UnB (Universidade de Brasília); UNEB (Universidade do Estado da Bahia); UNESP (Universidade Estadual Paulista Júlio de Mesquita Filho); UFSC (Universidade Federal de Santa Catarina); UNESPAR (Universidade Estadual do Paraná); UNICAMP (Universidade Estadual de Campinas); UNIVALI (Universidade do Vale do Itajaí); Universität Wien (Universidade de Viena, Áustria); USP (Universidade de São Paulo); UTFPR (Universidade Tecnológica Federal do Paraná).

3. Revista Ressonâncias (PBMIH)

Nucleada no PPG-Letras da UFPR e coordenada por discentes do Programa, a Revista Ressonâncias (https://issuu.com/ressonancias) é um periódico de estudos relacionados à migração, ao refúgio e à hospitalidade, tendo como principal objetivo disponibilizar e ampliar o acesso a materiais de apoio didático de Português como Língua Adicional e Português como Língua de Acolhimento a comunidades de migrantes em situação de refúgio, acolhida humanitária e vulnerabilidade social, bem como a professores em formação inicial e/ou continuada que trabalhem com esse público.

A Revista está diretamente ligada ao projeto de extensão de Português Brasileiro para Migração Humanitária (PBMIH), que, inscrito no âmbito da Cátedra Sérgio Vieira de Melo (UFPR), procura oferecer aos estudantes de graduação e pós-graduação, estagiários e voluntários do projeto, um espaço alternativo de formação voltado para essa área de especialidade, ao mesmo tempo em que contribui de modo expressivo com uma forma concreta de apoio humanitário. O projeto do PBMIH completou 7 anos de existência em 2020 e envolve, atualmente, 43 bolsistas, voluntários e colaboradores (entre os quais 02 docentes e 09 discentes e egressos do PPG-Letras), os quais ministram aulas de português em 6 níveis diferentes, além de participarem de projetos itinerantes.

A Revista Ressonâncias, como desdobramento direto das ações do PBMIH, caracteriza-se como experiência inovadora de formação na medida em que se constitui, ao mesmo tempo, como lugar de elaboração sobre a experiência acumulada nesse espaço formativo e como um meio de partilha e disseminação das reflexões e do material produzidos nesse contexto: fazendo ressoar as reflexões produzidas em, a partir e através da sala de aula.

O primeiro número foi lançado no início de 2020. Para a versão impressa, a Revista contou também com o apoio financeiro da Agência da ONU para Refugiados (ACNUR). O projeto da Revista é realizado por um grupo de 04 discentes e egressos do PPG-Letras e de 01 graduando do curso de Letras.

4. Disciplina transversal: Escrita acadêmica em inglês (CAPA, EMI)

Embora as atividades de Ensino à Distância (EaD) tenham crescido mundialmente e venham sendo incentivadas no ensino superior e, especialmente, na pós-graduação, a UFPR inovou no processo de ensino-aprendizagem ao lançar, em 2017, disciplinas que podem ser cursadas de forma presencial ou remota, ou seja: as aulas podem ser assistidas ao vivo e de outros locais (fisicamente distantes). Com tecnologia própria, a UFPR desenvolveu uma plataforma que permite transmitir aulas em tempo real, com efetiva participação dos alunos que aderiram ao formato remoto. Os alunos do modo remoto podem interagir por meio de um chat direto, além de terem acesso aos materiais didáticos, bem como à gravação de todas as aulas. Os alunos dispõem ainda de um acompanhamento especial realizado por tutores. Portanto, não se trata de EaD de modo estrito, mas, sim, de um modelo híbrido, com transmissão das aulas e possibilidade de interação dos alunos, em tempo real.

Esse recurso tecnológico possibilitou a criação das chamadas disciplinas transversais, resultado da cooperação entre a Pró-reitoria de Pesquisa e Pós-graduação (PRPPG) e alguns Programas stricto sensu da instituição, como o PPG-Letras. Trata-se da oferta de disciplinas de natureza mais instrumental e de interesse comum a PPGs de diversas áreas (daí sua caracterização como transversais), ministradas (presencial e remotamente) por docentes de determinados Programas, mas voltadas para alunos de todos os PPGs da UFPR e também de outros Programas parceiros, o que caracteriza sua natureza inovadora como experiência de formação: seja pelo alcance de um conjunto muito maior de estudantes (inclusive de outras instituições), seja pela possível otimização da força docente (já que os PPGs não precisam replicar ofertas semelhantes apenas para os próprios estudantes), seja pelo quanto a natureza transversal dessa iniciativa representa como forma (ainda discreta, mas muito efetiva) de integração entre os PPGs da instituição. Entre as disciplinas ofertadas, cabe destacar as seguintes: Métodos Estatísticos em Pesquisa Científica, Metodologia de Pesquisa Científica, Gestão de Dados em Pesquisa, Filosofias da Ciência e da Tecnologia e, em especial, a disciplina de responsabilidade do PPG-Letras: Escrita Acadêmica em Inglês.

Concebida e ministrada por um docente da linha 3 da área de Estudos Linguísticos do PPG-Letras, a disciplina de ?Escrita Acadêmica em Inglês? foi a disciplina piloto do projeto de disciplinas transversais e, portanto, a primeira a ser ofertada nessa modalidade, em 2017. Formatada como disciplina de 60h, seu principal objetivo é ensinar aos estudantes alguns fundamentos básicos da redação acadêmica em língua inglesa, conferindo-lhes um grau maior de autonomia ao redigirem seus artigos científicos na língua estrangeira.

A oferta da disciplina de Escrita acadêmica em inglês está diretamente ligada a dois outros projetos: o Centro de Assessoria de Publicação Acadêmica (CAPA), inaugurado em outubro de 2016, projeto interdisciplinar que visa auxiliar a disseminação internacional de pesquisa científica; e o Programa EMI (English as a Medium of Instruction) de qualificação docente, que capacita docentes que desejam ministrar disciplinas em língua inglesa. Ao envolver 02 docentes (como coordenadores e ministrantes) e discentes (como tutores e monitores) do PPG-Letras em torno de uma de suas áreas de especialidade, a de inglês como meio de instrução (EMI), essa iniciativa constitui-se, igualmente, como um espaço privilegiado de formação discente nessa área específica.

Desde sua primeira edição em 2017, a disciplina, ofertada anualmente, já capacitou mais de 1.000 alunos de todos os programas de pós-graduação da UFPR. A partir da edição de 2018, a disciplina passou a ser ofertada inteiramente em inglês. Em 2019, com a parceria entre a UFPR e a Superintendência Geral de Ciência, Tecnologia e Ensino Superior do Estado do Paraná (SETI-PR), foram abertas 800 vagas e a disciplina passou a ser ofertada para pesquisadores da UFPR e das sete universidades estaduais do Paraná. A partir de 2020, essa oferta será suplementada com a oferta da disciplina Writing for Academic Publication, uma ação conjunta entre a UFPR e a Universidade da Califórnia, Berkeley (UC Berkeley), nos Estados Unidos. Os créditos da disciplina serão validados tanto para alunos da UFPR quanto para alunos da UC Berkeley. A exemplo do que já vem ocorrendo na disciplina de Escrita Acadêmica em inglês, discentes do PPG-Letras, com pesquisa na área de especialidade de inglês como meio de instrução, atuarão como tutores da disciplina.

Ensino à Distância

O Programa participa do projeto institucional das disciplinas transversais da UFPR, envolvendo docentes e discentes do PPG-Letras na oferta e na tutoria, em língua inglesa, das disciplinas híbridas de Escrita Acadêmica em Inglês e de Writing for Academic Publication.

Em razão da suspensão das atividades presenciais, por força da Pandemia, o Programa passou a ofertar seus Cursos Livres e também alhumas de suas disciplinas em regime remoto.

Disponibilizado via SIGA UFPR

Universidade Federal do Paraná
Programa de Pós-Graduação em Letras
Rua General Carneiro, 460, 10º andar
Centro - CURITIBA
Telefone:(41) 3360-5102
E-mail: ppgglet@gmail.com

Universidade Federal do Paraná
Programa de Pós-Graduação em Letras
Rua General Carneiro, 460, 10º andar
Centro - CURITIBA
Telefone:(41) 3360-5102
E-mail: ppgglet@gmail.com

Imagem logomarca da UFPR

©2020 - Universidade Federal do Paraná - Programa de Pós-Graduação em Letras

Desenvolvido em Software Livre e hospedado pela Pró-Reitoria de Pesquisa e Pós-Graduação